Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Amigo da família diz que havia corrupção nos gabinetes de Bolsonaro e dos filhos quando eram parlamentares

Waldir garante que quem criou e comandava todo o esquema de corrupção era a ex-mulher de Jair Bolsonaro.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 22 de Janeiro de 2022 às 13:57
Bolsonaro
Bolsonaro FOTO: Joedson Alves/Lusa/Epa

Um aliado e amigo pessoal de Jair Bolsonaro há mais de 30 anos, o jornalista Waldir Ferraz, disse em entrevista à revista "Veja" que havia um esquema de corrupção nos gabinetes do atual presidente brasileiro e de dois dos seus filhos, Flávio e Carlos, quando todos eram parlamentares. Flávio Bolsonaro, atual senador, desmentiu em comunicado esses esquemas de corrupção e colocou em dúvida que o amigo do pai tenha feito a denúncia, mas a revista divulgou os áudios, confirmando as palavras de Waldir.

De acordo com o jornalista, que também foi assessor do clã Bolsonaro por anos e trabalhou na campanha das presidenciais que em 2018 levaram Jair Bolsonaro ao poder, os esquemas de desvio de dinheiro público ocorreram quando o atual chefe de Estado era deputado federal, o filho Flávio deputado regional no Rio de Janeiro, e Carlos vereador na mesma cidade. A existência desse esquema no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro foi denunciado em 2018 pelo Ministério Público, que reuniu vastas provas contra o filho mais velho de Bolsonaro, mas manobras jurídicas e a influência do atual presidente do Brasil fizeram esvaziar o processo e nada aconteceu.

Ainda de acordo com Waldir Ferraz, o esquema de desvios, conhecido nos meios políticos como Rachadinha", consistia na obrigatoriedade de assessores dos três parlamentares devolverem a maior parte dos ordenados ao clã, que assim enriquecia através de "sacos azuis", cujo dinheiro sujo era lavado através de negócios imobiliários. Quem não aceitava devolver parte do ordenado aos Bolsonaro era demitido, e havia casos em que os supostos assessores na verdade nem precisavam trabalhar nem mesmo comparecer aos gabinetes, sendo os seus nomes usados somente para justificar a saída de dinheiro dos cofres públicos.

Segundo o que o jornalista declarou à "Veja", Jair Bolsonaro só soube da existência desse esquema de corrupção no seu gabinete e nos gabinetes dos dois filhos em 2018, quando o Ministério Público fez a denúncia publicamente. Waldir garante que quem criou e comandava todo o esquema de corrupção era a ex-mulher de Jair Bolsonaro, que também era sua assessora, Ana Cristina Valle, segundo o denunciante uma mulher ávida por dinheiro e capaz de tudo para o conseguir.
Ver comentários