Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Comício de Trump com uma fraca participação

Pavilhão com espaço para 19 mil pessoas ficou com um terço dos lugares vazios.
Maria Vaz 22 de Junho de 2020 às 08:21
Presidente norte-americano fez o seu primeiro comício pré-campanha depois da paragem obrigatória devido à pandemia
A maioria dos participantes não usou máscaras de proteção nem respeitou distâncias de segurança
Estádio ficou com lugares por preencher, especialmente nas bancadas superiores
Presidente norte-americano fez o seu primeiro comício pré-campanha depois da paragem obrigatória devido à pandemia
A maioria dos participantes não usou máscaras de proteção nem respeitou distâncias de segurança
Estádio ficou com lugares por preencher, especialmente nas bancadas superiores
Presidente norte-americano fez o seu primeiro comício pré-campanha depois da paragem obrigatória devido à pandemia
A maioria dos participantes não usou máscaras de proteção nem respeitou distâncias de segurança
Estádio ficou com lugares por preencher, especialmente nas bancadas superiores
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, esperava contar com "um milhão de apoiantes" naquele que foi o seu primeiro comício pré-campanha, sábado, em Tulsa, no estado de Oklahoma, mas as imagens mostraram bancadas vazias.

O pavilhão BOK Center, que tem capacidade para cerca de 19 mil pessoas, acabou por não encher e, segundo o jornal ‘New York Times’, havia pelo menos um terço dos lugares vazios. Depois do anúncio de que o evento tinha tido um milhão de inscrições, um segundo palco foi montado fora do pavilhão, onde Trump e o vice-presidente norte americano, Mike Pence, iriam discursar, mas o número de participantes ficou tão aquém do esperado que o evento exterior teve mesmo de ser cancelado. O porta-voz da campanha do presidente, Tim Murtaugh, justificou que o cancelamento se deveu ao ajuntamento no exterior de manifestantes radicais. Já Donald Trump culpou os meios de comunicação de assustarem os seus apoiantes, chamando aos que estavam na iniciativa de "guerreiros".

No seu discurso, o presidente norte-americano voltou aos ataques ao seu adversário democrata na corrida à Casa Branca, o antigo vice-presidente Joe Biden. Trump afirmou que se Biden chegar ao poder será "o fim dos Estados Unidos", já que o país estará "controlado pela esquerda radical".

O comício em Tulsa gerou controvérsia depois de Trump ignorar os avisos das autoridades sanitárias sobre ajuntamentos. O porta-voz da campanha afirmou que todos os participantes estavam sujeitos a controlos de temperatura e receberam máscaras e desinfetante, porém a maioria das pessoas foi vista sem qualquer proteção facial e não respeitando o distanciamento social. Depois de Tulsa, Trump tem planeados, nas próximas semanas, comícios na Florida, Arizona e Carolina do Norte.

PORMENORES
"Faca de dois gumes"
Donald Trump afirmou ter pedido às autoridades de saúde a diminuição do número de testes feitos à Covid-19 devido ao rápido aumento de casos no país. O presidente norte-americano disse que a despistagem da doença pode ser considerada como uma "faca de dois gumes".

Vítima de partida
A ‘Sky News’ avança que Donald Trump poderá ter sofrido uma partida de milhares de jovens, utilizadores da plataforma TikTok e de contas de Twitter sobre k-pop (música pop coreana), que se registaram no comício e não apareceram.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)