Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Mãe mata filho com corda da roupa por menino jogar no telemóvel

Alexandra deu alerta para desaparecimento do filho, Rafael, depois de ter escondido o corpo numa caixa de cartão.
Correio da Manhã 8 de Julho de 2020 às 09:58
Alexandra estrangulou o próprio filho até á morte com a corda da roupa
Alexandra estrangulou o próprio filho até á morte com a corda da roupa
Alexandra estrangulou o próprio filho até á morte com a corda da roupa
Alexandra estrangulou o próprio filho até á morte com a corda da roupa
Alexandra estrangulou o próprio filho até á morte com a corda da roupa
Alexandra estrangulou o próprio filho até á morte com a corda da roupa
Alexandra estrangulou o próprio filho até á morte com a corda da roupa
Alexandra estrangulou o próprio filho até á morte com a corda da roupa
Alexandra estrangulou o próprio filho até á morte com a corda da roupa
Alexandra estrangulou o próprio filho até á morte com a corda da roupa
Alexandra estrangulou o próprio filho até á morte com a corda da roupa
Alexandra estrangulou o próprio filho até á morte com a corda da roupa

Uma mulher foi detida por matar o próprio filho de 11 anos na localidade de Planalto, Rio Grande do Sul, no Brasil. O caso está a chocar o país e o mundojá que a mãe, Alexandra Gougokenski, deu o alerta para o desaparecimento do filho, Rafael,  e, agora, veio confessar ter estrangulado o menor até à morte porque este lhe "desobedeceu".

Alexandra, de 33 anos, descrita pelos vizinhos como " a mãe perfeita", acabou por confessar o crime. As autoridades já suspeitavam do envolvimento da mulher no desaparecimento do filho, uma vez que a brasileira afirmou que o filho tinha saído de casa de madrugada, quando ela estava a dormir mas, noutro depoimento, descreveu ao pormenor a roupa que o filho tinha vestido quando, alegadamente, tinha fugido de casa.

Dez dias depois do desaparecimento da criança, e 10 interrogatório depois, Alexandra confessou que tinha matado o filho, mas disse que o tinha feito acidentalmente, ao dar dois comprimidos analgésicos a Rafael para este dormir. Depois mostrou aos investigadores onde tinha escondido o corpo do menino: dentro de uma caixa de cartão, num anexo da casa.

A autópsia ao corpo de Rafael veio contar uma história diferente da de Alexandra: o menino tinha morrido por asfixia. Confrontada com a verdade, a mãe acabou por contar que tinha estrangulado Rafael com a corda da roupa, porque o menor lhe "desobedeceu" e não acatou a sua ordem para dormir e ficou a jogar no telemóvel.

Alexandra foi agora formalmente acusada de homicídio qualificado por motivo fútil, por falso depoimento e por obstrução da investigação. Poderá ser condenada a uma pena de até 30 anos de prisão.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)