Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

"Comecei a gritar e chorar": O relato do horror vivido por três mulheres mantidas em cativeiro por 9 anos

Amanda Berry, Gina DeJesus e Michelle Knight foram sequestradas e abusadas sexualmente por Ariel Castro.
Correio da Manhã 2 de Janeiro de 2020 às 17:10
EUA, Ariel Castro, jovens, cativeiro, onze anos, revelação
Ariel Castro no dia em que foi condenado pelos seus crimes
EUA, Ariel Castro, jovens, cativeiro, onze anos, revelação
Demolição da casa de Ariel Castro
EUA, Ariel Castro, jovens, cativeiro, onze anos, revelação
Marido chegou a fechá-la numa caixa de cartão
EUA, Ariel Castro, jovens, cativeiro, onze anos, revelação
Ariel Castro no dia em que foi condenado pelos seus crimes
EUA, Ariel Castro, jovens, cativeiro, onze anos, revelação
Demolição da casa de Ariel Castro
EUA, Ariel Castro, jovens, cativeiro, onze anos, revelação
Marido chegou a fechá-la numa caixa de cartão
EUA, Ariel Castro, jovens, cativeiro, onze anos, revelação
Ariel Castro no dia em que foi condenado pelos seus crimes
EUA, Ariel Castro, jovens, cativeiro, onze anos, revelação
Demolição da casa de Ariel Castro
EUA, Ariel Castro, jovens, cativeiro, onze anos, revelação
Marido chegou a fechá-la numa caixa de cartão

Amanda Berry, Gina DeJesus e Michelle Knight foram sequestradas e mantidas em cativeiro por mais de 9 anos por Ariel Castro em Cleveland, no estado norte-americano de Ohio. Sete anos depois de terem conseguido fugir de Castro, as três mulheres deram uma entrevista onde revelaram alguns detalhes do horror que viveram quando foram mantidas em cativeiro.

As vítimas eram acorrentadas na casa de Ariel Castro, passavam fome e eram obrigadas a usar um balde para as necessidades fisiológicas. Enquanto isso, as famílias temiam que estivessem mortas. 

Amanda Berry estava a ir para casa depois do trabalho quando Ariel Castro a sequestrou em abril de 2003, um dia antes de fazer 17 anos. Deu à luz uma menina enquanto esteve mantida em cativeiro depois de ser abusada sexualmente por Castro.

Em entrevista à ABC, Amanda Berry revelou que aceitou boleia de Ariel Castro. Este era motorista de um autocarro de crianças e pai de Arlene, amiga de Amanda e de Gina, outra das vítimas de Castro. 

Berry quando viu que o motorista não a estava a levar para sua casa, mas sim para a do motorista, percebeu que algo não estava bem. "Ele levou-me para um quarto, e estava muito escuro lá dentro (…) disse-me para baixar as calças. Eu sabia que isso não podia ser bom", contou Amanda na entrevista.

"Comecei a gritar e a chorar… ‘alguém me ajude por favor’ e ninguém veio. Eu estava com tanto medo de morrer. Achava que nunca chegaria a casa", acrescentou ainda.

Dias depois de ter sequestrado Amanda, Castro ligou para a família da vítima. O FBI ainda tentou localizar a chamada mas não conseguiu uma localização exata.

Aos 20 anos, três anos depois do sequestro, Amanda engravidou depois de ter sido abusada sexualmente por Castro. A mulher, atualmente com 33 anos, deu à luz a filha Jocelyn no Natal de 2006.

Depois do nascimento de Jocelyn, a vida de Amanda mudou. Quando Jocelyn reparou nas correntes, Castro tirou-as e mandou Amanda dizer à menina que estas eram pulseiras. Berry manteve ainda um registo das vezes que foi abusada pelo homem através de um código escrito num diário.

Em maio de 2013, Berry conseguiu fugir da casa com a filha, na altura com seis anos, e tentou correr para a casa de um vizinho para pedir ajuda. Apesar de terem conseguido sair do quarto, Berry e Jocelyn não conseguiram abrir a porta da frente que estava trancada. No entanto, uma testemunha ouviu o barulho e abriu a porta.

Foi nessa altura que as três vítimas e a filha de Berry conseguiram fugir juntamente com Gina e Michelle.
Michelle Knight tem atualmente 38 anos e foi a vítima mantida em cativeiro por mais tempo. Tinha 21 anos quando foi sequestrada ao sair da casa do primo em agosto de 2002.

Gina DeJesus foi a vítima mais nova a ser raptada por Castro. Tinha 14 anos na altura. Recordou na entrevista o momento em que Castro a levou para casa e a acorrentou. "Pegou no meu cabelo e colocou-o na boca. Não sei porque é que ele fez isso mas foi nojento", disse na entrevista dada à ABC.

DeJesus recordou ainda o momento em que conseguiu fugir e disse quem era. "Quando estava a dizer o meu nome, parecia que eles tinham visto um fantasma ou assim", contou.

Passado três meses da fuga, em agosto de 2013, o homem de 53 anos admitiu mais de 900 acusações de sequestro e abuso sexual.

Poucas semanas depois de ser preso, Ariel Castro foi encontrado morto na cela depois de cometer suicídio. A casa onde as mulheres foram mantidas em cativeiro foi demolida.

Ver comentários