Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Alunos de 9 e 11 anos suspeitos de envenenarem professora em São Paulo

Num dos intervalos os dois suspeitos abriram a garrafa de água da docente e colocaram o veneno lá dentro.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 17 de Fevereiro de 2020 às 17:14
Sala de aulas
Sala de aulas FOTO: Rui Miguel Pedrosa

Dois alunos do quarto ano do ensino fundamental, um de 9 e outro de 11 anos, são os principais suspeitos de terem envenenado uma professora da escola onde estudam, a Escola Estadual Aniz Badra, localizada no Parque Cocaia, no bairro do Grajaú, extremo sul da cidade brasileira de São Paulo. A professora de 42 anos foi salva pelos médicos do Pronto Socorro Maria Antonieta, que lhe fizeram uma lavagem ao estômago e a medicaram contra o veneno.

De acordo com a polícia, que não pode revelar mais detalhes devido à pouca idade dos suspeitos, os dois estudantes colocaram veneno contra insectos na garrafa de água que a professora costuma usar na sala de aula. Num dos intervalos, quando a professora e os outros alunos saíram, os dois suspeitos abriram a garrafa, que a docente deixou em cima da mesa, e colocaram o veneno lá dentro.

Ao voltar à sala de aulas após o intervalo e ao beber água, a professora começou imediatamente a sentir-se mal. A rapidez com que a direcção da escola chamou socorro e o atendimento no hospital, localizado na mesma região, evitaram que sofresse sequelas mais graves.

A direcção da escola estuda agora as medidas a tomar em relação aos dois alunos, que não explicaram os motivos do seu acto, que poderia ter levado à morte da professora. Os estudantes dificilmente sofrerão qualquer punição judicial devido às idades e não poderão ser processados ou confinados a uma prisão para menores infractores, uma vez que os estabelecimentos correcionais deste tipo só aceitam condenados com mais de 12 anos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)