Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Angola quer apoio da UNESCO e Interpol para recuperar coleções culturais dispersas

Diretor nacional dos museus diz que primeiro é preciso iniciar um trabalho de identificação desses objetos.
Lusa 18 de Fevereiro de 2020 às 14:44
UNESCO
UNESCO FOTO: EPA/CHRISTOPHE PETIT TESSON
O Governo angolano quer contar com o apoio da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), Conselho Internacional dos Museus e da Interpol para recuperação de coleções culturais dispersas na Europa e na América.

"Este é um processo complexo, não se aborda de maneira simples, reconhecemos de facto que as coleções angolanas se encontram nas Europas, Américas, mas é preciso iniciar primeiro um trabalho de identificação desses objetos e depois a segunda fase será passar à negociação para o retorno", respondeu esta terça-feira à Lusa o diretor nacional dos museus, Ziva Domingos.

O responsável referiu, em Luanda, que para a recuperação dessas coleções Angola terá de "cruzar suas ações" com organizações como a UNESCO, o Conselho Internacional dos Museus e a Interpol.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)