Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Antiga polícia afegã denuncia gangs de talibãs em atos sexuais com cadáveres enquanto procuram escravas

Muskan afirma que os talibãs têm ido de porta em porta em busca de meninas e mulheres.
Correio da Manhã 24 de Agosto de 2021 às 17:57
Talibãs em Jalalabad
Talibãs em Jalalabad FOTO: Getty Images

Uma antiga polícia afegã, que se identificou como Muskan, denunciou no canal de televisão indiano News18 que há grupos de talibãs que estão a fazer sexo com cadáveres enquanto procuram, de porta em porta, por escravas sexuais.  

Aterrorizada, a antiga polícia diz que os talibãs "não querem saber se a pessoa está morta ou viva" durante a busca por mulheres e raparigas para serem incluídas nos "despojos de guerra" onde se tornam escravas dos talibãs.

Muskan fugiu do Afeganistão para a Índia e alega que o movimento insurgente lançou "inúmeros avisos" e ameaças de morte ou violência física a famílias caso as mulheres fossem trabalhar.

"Eles violam corpos mortos. Não querem saber se a pessoa está morta ou viva, conseguem imaginar", relata. 

"Têm ido de porta em porta, arrancam mulheres e meninas das suas famílias ou atirando sobre elas", acrescentou ela.

As notícias surgem numa altura em que há relatos de que os talibãs estão a 'caçar' meninas a partir dos 12 anos para as levar como escravas sexuais. 

Estes relatos contradizem os talibãs que alegaram que não haveria violência contra as mulheres ou que os seus direitos não estariam em risco, desde que estas cumprissem a 'sharia', lei islâmica. 

Muskan News18 distúrbios guerras e conflitos guerra conflito armado questões sociais
Ver comentários