Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Antirracismo de volta às ruas da América

Vários incêndios foram ateados durante os protestos do fim de semana.
Maria Vaz 28 de Julho de 2020 às 09:11
Tribunal federal de Oakland foi vandalizado e incendiado pelos manifestantes
Protestos antirracismo em Oakland começaram por ser pacíficos
Polícia de Austin e manifestantes reúnem-se em auxílio de um homem que foi baleado durante os protestos do fim de semana
Manifestantes vandalizaram várias lojas de comércio de rua em Seattle
Tribunal federal de Oakland foi vandalizado e incendiado pelos manifestantes
Protestos antirracismo em Oakland começaram por ser pacíficos
Polícia de Austin e manifestantes reúnem-se em auxílio de um homem que foi baleado durante os protestos do fim de semana
Manifestantes vandalizaram várias lojas de comércio de rua em Seattle
Tribunal federal de Oakland foi vandalizado e incendiado pelos manifestantes
Protestos antirracismo em Oakland começaram por ser pacíficos
Polícia de Austin e manifestantes reúnem-se em auxílio de um homem que foi baleado durante os protestos do fim de semana
Manifestantes vandalizaram várias lojas de comércio de rua em Seattle
A pesar dos protestos antirracismo nos Estados Unidos terem perdido intensidade nos últimos tempos, este fim de semana e após a administração Trump ter enviado tropas federais para várias cidades geridas pelo Partido Democrata, as manifestações antirracismo voltaram a subir de tom em todo o país. Manifestantes incendiaram um tribunal no domingo e vandalizaram uma esquadra da polícia em Oakland, no estado norte-americano da Califórnia. Os protestos, que juntaram centenas de pessoas, começaram por ser pacíficos, mas alguns manifestantes acabaram a lançar pedras, balões de tinta e garrafas com água congelada para partir janelas de edifícios federais.

Em Austin, no estado do Texas, um homem de 28 anos morreu baleado no sábado à noite, quando alguém num carro abriu fogo contra um grupo de manifestantes. Em Seattle, no estado de Washington, vários grupos de manifestantes atiraram pedras contra os agentes da polícia, vandalizaram lojas de rua e atearam fogos em diferentes pontos da cidade. As manifestações antirracismo têm ocorrido com maior frequência durante os últimos dois meses, depois da morte do afro-americano George Floyd às mãos de um polícia. 

pormenores
Reforço de forças
Depois de o Presidente Donald Trump ter ordenado, na semana passada, o envio de tropas federais para Seattle e Portland, as manifestações aumentaram nas duas cidades. Em Seattle, a polícia fez 45 detenções, sendo que pelo menos 21 agentes da polícia ficaram feridos.

Manifestantes armados
Em Louisville, no estado de Kentucky, duas milícias rivais, nas quais se encontravam pessoas armadas, juntaram-se aos protestos pedindo justiça por Breonna Taylor, uma paramédica de 26 anos que foi morta a tiro pela polícia na própria casa.

Carro contra protesto
Em Aurora, nos subúrbios de Denver, estado do Colorado, um carro atingiu uma multidão em protesto. Um dos manifestantes acabou por disparar, atingindo uma pessoa.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)