Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Antiviral remdesivir, utilizado em doentes Covid-19, já rendeu à fabricante 766 milhões de euros

Grupo viu o seu volume de negócios trimestral aumentar 17%, para 6,58 mil milhões de dólares.
Lusa 28 de Outubro de 2020 às 21:38
Remdesivir
Remdesivir ajuda a reduzir tempo de recuperação dos doentes com Covid-19
Remdesivir
Remdesivir ajuda a reduzir tempo de recuperação dos doentes com Covid-19
Remdesivir
Remdesivir ajuda a reduzir tempo de recuperação dos doentes com Covid-19
O medicamento antiviral remdesivir, utilizado para doentes hospitalizados com covid-19, já rendeu à fabricante, a Gilead Sciences, quase 900 milhões de dólares (766 milhões de euros) no terceiro trimestre do ano, anunciou hoje a empresa farmacêutica.

Devido às vendas do remdesivir, inicialmente desenvolvido em vão contra a febre hemorrágica do Ébola, o grupo viu o seu volume de negócios trimestral aumentar 17%, para 6,58 mil milhões de dólares.

A empresa voltou também novamente a ser rentável.

Em 22 de outubro a Direção-Geral da Saúde anunciou que vai adquirir entre este mês e março de 2021 mais de 100.000 frascos do medicamento, com a designação comercial Veklury, para tratamento de doentes com covid-19.

A decisão foi tomada em Conselho de Ministros e anunciada pela ministra da Saúde, Marta Temido, que explicou que "a aquisição de mais de cem mil frascos" terá um custo de cerca de 35 milhões de euros, uma vez que cada um custa 345 euros.

O remdesivir é indicado para o tratamento de doentes adultos e adolescentes com pneumonia que necessitem de oxigénio suplementar e foi autorizado na União Europeia para a covid-19, lembrou Marta Temido.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Covid-19 Gilead Sciences Marta Temido economia negócios e finanças economia (geral)
Ver comentários