Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Biden aprova medidas para combater a Covid-19

Equipa do novo presidente para combate à epidemia diz ter encontrado um cenário pior do que esperava.
22 de Janeiro de 2021 às 08:32
Biden assinou já duas dezenas de ordens executivas que visam reverter ou corrigir decisões da administração Trump em temas como a imigração e o clima
Biden assinou já duas dezenas de ordens executivas que visam reverter ou corrigir decisões da administração Trump em temas como a imigração e o clima FOTO: Direitos Reservados
No primeiro dia completo no cargo, o novo presidente dos EUA deu esta quinta-feira mais alguns passos significativos para reverter decisões do antecessor na Casa Branca. Joe Biden centrou ontem atenções no combate à Covid, depois de na quarta-feira, poucas horas após a tomada de posse, assinar 17 ordens executivas visando, entre outras coisas, suspender a construção do muro no México, devolver os EUA aos acordos de Paris para o Clima e anular a proibição de entrada no país de cidadãos de uma dezena de países muçulmanos.

Os diplomas assinados ontem pelo presidente visam, desde logo, acelerar a campanha de vacinação e aumentar os testes de despistagem de infeções.

Segundo a equipa de Biden, a administração Trump deixou uma herança de desorganização e ineficácia, que custou a vida a 400 mil pessoas. “É muito pior do que podíamos imaginar”, afirmou Jeff Zients, coordenador da ‘task force’ de Biden para combate à epidemia. Não existia um plano para a vacinação e foram detetadas 12 “falhas de fornecimento” de vacinas e material para a prevenção e o combate à doença.

O objetivo da nova administração é vacinar 100 milhões de pessoas nos primeiros 100 dias de presidência. Para o efeito serão criados centros de vacinação em estádios e instalações comunitárias. O financiamento para as autoridades nacionais e locais será reforçado e vai ser acelerado o fabrico e fornecimento de máscaras e outro equipamento de proteção.

As medidas incluem ainda a obrigatoriedade de distanciamento social e uso de máscaras nas instalações e serviços públicos e igualmente em muitas ligações aéreas e ferroviárias.

Na quarta-feira, Biden colocou Anthony Fauci, o infeciologista que tanto criticou Trump, à cabeça da delegação que vai travar a saída dos EUA da OMS, que entraria em vigor em julho, por decisão de Trump. n

Pormenores
Objeção republicana
Pouco depois de Biden assinar a ordem executiva que visa repor os EUA nas metas de redução de emissões poluentes dos Acordos de Paris para o Clima, um grupo de senadores republicanos pediu para que o projeto do presidente seja levado ao Congresso para análise.

Respeito pela Imprensa
Na primeira comparência pública, a secretária de Imprensa de Joe Biden, Jen Psaki, prometeu “transparência e respeito pelo papel de uma imprensa livre e independente”, em acentuado contraste com a atitude de Trump contra os jornalistas.
Joe Biden Covid-19 Casa Branca EUA Donald Trump epidemia
Ver comentários