Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Bolsonaro ataca vacinação de crianças contra a Covid-19

Presidente contraria determinações das autoridades e do seu próprio Ministério da Saúde e ignora mortes de menores com a doença.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 9 de Janeiro de 2022 às 08:51
Manifestação de apoiantes de Bolsonaro
Manifestação de apoiantes de Bolsonaro FOTO: UESLEI MARCELINO/Reuters
Um novo ataque do presidente brasileiro contra as vacinas está a causar polémica. Jair Bolsonaro insurgiu-se, desta feita, contra as vacinas para a Covid-19 para crianças dos 5 aos 11 anos, autorizada pelo órgão regulador, a Anvisa, em 16 de dezembro, mas que agora quer travar. O repúdio ante esta atitude foi causado por declarações falsas do chefe de Estado, que na quinta-feira chamou aos defensores da imunização “tarados por vacinas”.

“Já se sabe que as crianças podem sentir falta de ar e palpitações após a vacina. E pergunto: conhecem uma criança de 5 a 11 anos que tenha morrido de Covid? Eu não”, afirmou Bolsonaro, ocultando dados do seu próprio Ministério da Saúde que dão conta de pelo menos 308 crianças dessa faixa etária mortas por Covid no Brasil .

O presidente apelou a pais e avós brasileiros para não permitirem que filhos e netos sejam vacinados, acrescentando que as sequelas das vacinas podem, disse, levar à morte. E afirmou também que não permitirá que a filha Laura, de 11 anos, seja vacinada contra a Covid, acrescentando que o Coronavírus não afeta pessoas dessa idade.

“E vocês vão vacinar os vossos filhos contra algo que dificilmente matará os vossos filhos? Qual é o interesse dessas pessoas taradas por vacinas? É pela saúde? Se fosse, estariam preocupadas com outras doenças no Brasil e não estão”, concluiu.
Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários