Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Boris Johson nega "chantagem" contra deputados que o querem demitir

Primeiro-ministro britânico desmente pressões sobre críticos internos no escândalo das festas.
Francisco J. Gonçalves 22 de Janeiro de 2022 às 09:31
Johnson está no centro de uma polémica por violações do confinamento
Johnson está no centro de uma polémica por violações do confinamento FOTO: Reuters
O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou esta sexta-feira não “ter visto provas de chantagem” do seu partido contra os deputados que o querem demitir por causa do escândalo das festas realizadas em momentos de confinamento contra a Covid-19. O governo reforçou esta ideia e disse não estar a investigar as alegações, embora se diga aberto a verificar quaisquer provas de pressões sobre deputados que lhe sejam apresentadas.

A denúncia da chantagem partiu de William Wragg, segundo o qual os críticos do partido foram ameaçados com a publicação de notícias embaraçosas e cortes no financiamento dos respetivos círculos eleitorais. Um grupo de deputados reuniu-se, entretanto, para deliberar sobre a divulgação das ameaças. Em causa estão, por exemplo, SMS e uma gravação de uma conversa tensa com um líder de bancada. 
Ver comentários