Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Brexit: O adeus do Reino Unido após 47 anos

Saída será assinalada com um misto de júbilo e pesar em ambos os lados do canal da Mancha.
Ricardo Ramos 30 de Janeiro de 2020 às 09:35
Brexit, Reino Unido
brexit
Boris Johnson
Boris Johnson
Primeiro-ministro britânico, Boris Johnson
Brexit, Reino Unido
brexit
Boris Johnson
Boris Johnson
Primeiro-ministro britânico, Boris Johnson
Brexit, Reino Unido
brexit
Boris Johnson
Boris Johnson
Primeiro-ministro britânico, Boris Johnson

Após 47 anos de vida em comum, o Reino Unido e a União Europeia seguem a partir desta sexta-feira caminhos separados. O adeus está marcado para as 23 horas e será assinalado com um misto de celebração e pesar em ambos os lados da Mancha, mas a verdadeira separação só ocorrerá a 31 de dezembro. Só nessa altura se saberá se o divórcio será amistoso ou litigioso.

Durante os primeiros onze meses, pouco ou nada vai mudar, pelo menos na vida dos cidadãos comuns. O Reino Unido continuará a fazer parte do mercado único e da união aduaneira, os cidadãos britânicos e europeus poderão continuar a circular livremente e Londres continuará a ter de acatar as regras de Bruxelas, embora já não tenha poder para as discutir ou alterar. Isto porque o Reino Unido deixará de estar representado nas instituições europeias e os eurodeputados britânicos já fizeram as malas para regressar a casa. Esta sexta-feira à noite, a bandeira britânica hasteada na sede do Parlamento Europeu será arriada e guardada no Museu da UE e, nos sites oficiais, o Reino Unido passará a estar representado a cinzento ou bege, as cores reservadas aos "outros países".

Durante este período de transição, os dois lados vão tentar chegar a acordo sobre a futura relação comercial, mas o tempo é curto e a possibilidade de um ‘Brexit duro’ no final do ano continua a ser uma realidade.

SAIBA MAIS
Transição
Até 31 de dezembro de 2020, os cidadãos europeus poderão entrar no Reino Unido com cartão de cidadão ou passaporte e sem necessidade de visto, para visitas ou viagens com duração até três meses.

400
Entre os mais de 2,6 milhões de europeus não britânicos a residir em terras de Sua Majestade, o Ministério dos Negócios Estrangeiros português estima que haja cerca de 400 mil cidadãos nacionais.

Residência
Para continuarem a residir legalmente no Reino Unido, os cidadãos portugueses terão de submeter as suas candidaturas, para esse efeito, junto das autoridades britânicas até ao dia 30 de junho de 2021.

Mancha Brexit União Europeia Reino Unido política
Ver comentários