Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Cães colocados em arenas de combate e entregues à morte em esquema de apostas no Brasil

Plateia composta por médicos, veterinários e polícias apostava no 'elo mais forte'. 41 pessoas foram detidas.
Iúri Martins(iurimartins@cmjornal.pt) 18 de Dezembro de 2019 às 09:23
Cães colocados em arenas e entregues à morte em cenário de horror
Cães colocados em arenas e entregues à morte em cenário de horror
Cães colocados em arenas e entregues à morte em cenário de horror
Cães colocados em arenas e entregues à morte em cenário de horror
Cães colocados em arenas e entregues à morte em cenário de horror
Cães colocados em arenas e entregues à morte em cenário de horror
Vários cães foram colocados em arenas improvisadas e entregues à morte enquanto dezenas de pessoas metiam dinheiro em 'cima da mesa' e apostavam naquele que acreditavam ser o 'elo mais forte'. A polícia brasileira conseguiu desmantelar no passado fim de semana uma rede criminosa durante uma sessão de combate entre cães de raça pitbull em São Paulo.

Na plateia e entre os envolvidos estavam vários veterinários, médicos, um polícia militar e vários cidadãos estrangeiros. No total, quarenta e uma pessoas foram detidas no meio do cenário de horror que foi organizado através de um grupo de WhatsApp.

Segundo a imprensa brasileira, um dos cães acabou por não sobreviver aos ferimentos após um dos combates e foi servido como churrasco aos participantes. Outros cães foram resgatados pela polícia e vão agora ser entregues para adoção.

Quando se depararam com o cenário de terror, vários agentes da polícia envolvidos na ação acabaram por não conter as lágrimas e outros entraram em choque. "Eu com 13 anos de trabalho nunca tinha visto. Os cães eram assados para serem comidos", revelou Matheus Laiola, da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente no Paraná, à imprensa brasileira.

Dois jovens, de 12 e 14 anos, foram levados pelo pai para o local do crime que depois os abandonou com a chegada da polícia.



Pitbull resgatado urinou sangue
Um dos cães de raça pitbull que foi resgatado estava visivelmente ferido e chegou a urinar sangue em frente a um dos delegados de Proteção ao Meio Ambiente no Paraná.

Justiça brasileira soltou 40 envolvidos nas lutas
Apenas um dos 41 detidos na sequência da ação policial em São Paulo vai ficar na cadeia. Entre os libertados estão um médico, um polícia militar e um veterinário que estava encarregue de reanimar os animais para novas lutas.
Ver comentários