Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Cain nega assédio sexual

Herman Cain, que lidera as sondagens nas primárias republicanas para a candidatura à presidência dos EUA, admitiu ontem ter sido acusado de assédio sexual mas afirmou que as denúncias foram falsas.
1 de Novembro de 2011 às 01:00
O republicano Herman Cain
O republicano Herman Cain FOTO: Michael Reynolds/Epa

"Nunca assediei sexualmente ninguém. Fui falsamente acusado porque a investigação provou que as alegações não tinham qualquer fundamento" – afirmou Cain à cadeia de televisão norte-americana Fox News, depois de o site ‘Politico’ ter publicado que duas mulheres o acusaram de assédio, quando presidia à Associação Nacional de Restauração nos anos 90.

As queixosas, que trabalhavam na Associação, terão assinado, segundo o ‘Politico’, um acordo para saírem da organização a troco de compensação financeira. Cain, casado há 43 anos, afirma que se a Associação fez esse acordo "nunca o soube".

Ainda segundo o site, as denúncias incluíam conversas, insinuações e perguntas de índole pessoal em hotéis, durante reuniões ou em actos oficiais da Associação.

HERMAN CAIN REPUBLICANO ASSÉDIO SEXUAL QUEIXOSAS EUA
Ver comentários