Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Casal de gigantes em casa de anões

Um casal de gigantes britânicos está condenado a bater com a cabeça no tecto de casa depois de um projecto de remodelação ter sido recusado pelo Conselho Municipal de Marr, no Aberdeenshire.
22 de Julho de 2005 às 00:00
Brian não pode alterar a casa em que é forçado a andar curvado para evitar fazer ‘galos’ na cabeça
Brian não pode alterar a casa em que é forçado a andar curvado para evitar fazer ‘galos’ na cabeça FOTO: d.r.
Brian Culbert, de 36 anos, tem quase 2.15 metros, e a esposa, Fiona, passa um pouco dos dois metros. Ambos estão cansados de andar de costas dobradas e de bater com a cabeça no tecto, mas as autoridades alegam que autorizar as obras abriria um “precedente perigoso”.
“A altura pode na realidade ser considerada uma deficiência quando se passa a vida a bater com a cabeça nas soleiras das portas”, afirmou Fiona, lembrando a falta de respeito com que alguns vereadores camarários consideraram o projecto de obras, chegando mesmo a insinuar que se tratava de um luxo desnecessário.
“Não há casas a um preço razoável perto daqui, pelo que não temos condições para nos mudar. Daí termos apostado em melhorar aquilo que temos”, explicou a Sra. Culbert, considerando irritante e ofensiva a a atitude de um vereador que sugeriu simplesmente a compra de outra casa.
Peter Argyle, vice-presidente do Conselho que avaliou a petição, ele próprio um homem com mais de dois metros, considerou que todos “compreendem a situação”, mas que as alterações violariam “as políticas de planeamento urbano” e abririam um precedente permitindo a outros gigantes aumentar as suas casas”, o que, acentuou, “não é lógico”.
Ver comentários