Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Comissão Europeia contribui com mais 30 milhões de euros para ajudar o Líbano

Explosões no porto de Beirute provocaram pelo menos 158 mortos, 6.000 feridos e dezenas de desaparecidos.
Lusa 9 de Agosto de 2020 às 17:25
Cidade de Beirute destruída após explosões
Cidade de Beirute destruída após explosões
Cidade de Beirute destruída após explosões
Cidade de Beirute destruída após explosões
Cidade de Beirute destruída após explosões
Cidade de Beirute destruída após explosões
Cidade de Beirute destruída após explosões
Cidade de Beirute destruída após explosões
Cidade de Beirute destruída após explosões
A Comissão Europeia anunciou este domingo que vai enviar mais 30 milhões de euros para o Líbano, que se juntam aos 33 milhões de euros já alocados para cobrir as necessidades mais urgentes, após a explosão no porto de Beirute.

Citado em comunicado, o comissário europeu para a Gestão de Crises, Janez Lenarcic, afirmou que a União Europeia (UE) está mobilizada, desde o primeiro dia, para apoiar o Líbano, enviando para Beirute especialistas e ajuda médicas, a que se juntam os esforços individuais de alguns Estados-membros.

"À medida que as necessidades aumentam, estamos a fornecer ajuda humanitária a centenas de milhares de pessoas vulneráveis [...]. A UE está a fornecer abrigo, cuidados médicos de emergência, água, saneamento básico, bem como ajuda alimentar", sublinhou.

De acordo com o executivo comunitário, o novo financiamento será canalizado através das agências das Nações Unidas, organizações não-governamentais (ONG) e organizações internacionais, estando sujeito a um rigoroso controlo.

Na quinta-feira, Bruxelas já tinha anunciado o envio de 33 milhões de euros de ajuda de emergência para o Líbano, para além de equipas e meios técnicos.

Para além da verba, prometida pela presidente do executivo comunitário, Ursula von der Leyen, numa conversa telefónica com o primeiro-ministro libanês, Hassan Diab, a UE colocou à disposição de Beirute equipas especializadas na deteção química, biológica, radiológica e nuclear e um navio militar com capacidade de helicóptero para evacuação médica, e equipamento médico e de proteção.

A UE destacou já mais de 100 bombeiros altamente treinados de busca e salvamento, com veículos, cães e equipamento médico de emergência.

As Nações Unidas e a França organizaram este domingo uma videoconferência de doadores para o Líbano.

As explosões de dia 4 de agosto no porto de Beirute provocaram pelo menos 158 mortos, 6.000 feridos e dezenas de desaparecidos. Segundo o primeiro-ministro libanês, Hassan Diab, encontravam-se armazenadas 2.750 toneladas de nitrato de amónio nos armazéns. A substância esteve guardada durante seis anos, "sem medidas cautelares".

Ver comentários