Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Confinamento nacional volta a ser imposto em França

Bares, restaurantes e comércio não essencial fecham a partir de sexta-feira.
Ricardo Ramos 29 de Outubro de 2020 às 01:30
Emmanuel Macron anunciou as novas medidas num discurso à nação pela televisão, ontem à noite
Merkel anunciou confinamento parcial
Emmanuel Macron anunciou as novas medidas num discurso à nação pela televisão, ontem à noite
Merkel anunciou confinamento parcial
Emmanuel Macron anunciou as novas medidas num discurso à nação pela televisão, ontem à noite
Merkel anunciou confinamento parcial
França volta a partir de sexta-feira ao confinamento total, com a maioria da população fechada em casa, bares, restaurantes e comércio não essencial encerrados e as deslocações entre regiões proibidas. As medidas, anunciadas pelo presidente Emmanuel Macron, visam travar a “propagação exponencial” do novo coronavírus, que nos últimos dias ultrapassou os 30 mil novos casos diários.

“O vírus está a circular a uma velocidade que nem as previsões mais pessimistas tinham antecipado. Tal como os nossos vizinhos, estamos assoberbados por esta súbita aceleração”, justificou Macron, lembrando que esta segunda vaga “será mais dura e mais mortífera”.

Tal como sucedeu no primeiro confinamento, os franceses só poderão sair de casa para trabalhar (mediante apresentação de justificação assinada), ir às compras, ao médico ou à farmácia. As escolas vão continuar abertas mas as universidades terão de passar para o ensino online, e as deslocações entre regiões estão rigorosamente proibidas.

O novo confinamento estará em vigor até 1 de dezembro mas Macron admitiu rever as medidas dentro de duas semanas e levantar algumas restrições, incluindo a reabertura de algumas lojas, se a situação melhorar. O presidente francês anunciou ainda que o objetivo das novas medidas é baixar o número de novos casos diários para os cinco mil. França registou esta quarta-feira 36 437 novas infeções por Covid-19 e 523 novas mortes, o número mais elevado desde abril.

pormenores
“Um Natal diferente”
A Presidente da Comissão Europeia disse esta quarta-feira que “este Natal será diferente” por causa da pandemia de Covid-19. Ursula von der Leyen anunciou ainda que a vacinação contra o novo coronavírus deverá arrancar em força na União Europeia a partir de abril do próximo ano.

Testes positivos falsos
O governo alemão defendeu esta quarta-feira a precisão dos testes de despistagem nacionais à Covid-19 depois de um laboratório da Baviera ter anunciado falsos positivos em 58 de 60 exames realizados.

Transportes públicos
As autoridades italianas alertaram que os transportes públicos do país são os principais locais de risco para a transmissão do novo coronavírus.

Alemanha encerra restaurantes, bares, teatros e ginásios
A partir de segunda-feira, entra em vigor na Alemanha um confinamento parcial que vai levar ao fecho de todos os restaurantes, bares e ginásios no país. “Precisamos de tomar ações já”, disse a chanceler alemã Angela Merkel. Os ajuntamentos foram limitados a 10 pessoas mas as escolas vão continuar abertas.
Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários