Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Coronavírus deixa Itália em quarentena total

Medidas alargadas a todo o país.
Ricardo Ramos 10 de Março de 2020 às 01:30
Governo italiano colocou 60 milhões de pessoas de quarentena
Governo italiano colocou 60 milhões de pessoas de quarentena FOTO: Reuters
O governo italiano alargou esta segunda-feira as medidas de contenção e isolamento a todo o país, encerrando escolas, cancelando todos os eventos públicos e proibindo todas as deslocações sem ser por motivos de trabalho ou de saúde.

Medidas draconianas que visam conter a mais grave epidemia de coronavírus fora da China, que já vai com um total de 9172 casos e 463 mortes.

As medidas, anunciadas esta segunda-feira à noite pelo primeiro-ministro Giuseppe Conte, entram hoje em vigor e vão durar até 3 de abril.

Estão suspensas todas as atividades culturais, religiosas e desportivas, incluindo a Liga italiana de futebol.

Os transportes públicos vão continuar a funcionar mas o governo apelou às pessoas para permanecerem em casa e só saírem à rua por motivos profissionais ou situações de emergência. Na semana passada, o governo italiano já tinha colocado 16 milhões de pessoas em isolamento na região da Lombardia.

Vírus 30 minutos no ar
O coronavírus pode ficar no ar por pelo menos 30 minutos e viajar até 4,5 metros - além da "distância segura" indicada pelas autoridades de Saúde, revelam epidemiologistas da China citados pelo SCMP, de Hong Kong.

Quarentena para todos
O presidente de Israel, Benjamim Netanyahu, anunciou uma quarentena a todos os que entrem no país. "É uma decisão difícil, mas vital", disse Netanyahu ao Haaretz. A ordem para estrangeiros aplica-se já esta quinta-feira.

Apelos sem eficácia
O jornal ‘Corriere della Sera’, de Milão, refere a operação de quarentena da China, de proporções sem precedentes, onde as "ordens" resultaram, em oposição ao fracasso dos "apelos à razoabilidade" feitos pelas autoridades de Itália.

Vizinho da China fecha
Se antes entrar na Coreia do Norte era difícil, agora é impossível. O país, que faz fronteira com a China, encerrou fronteiras para travar o coronavírus e evitar uma crise de saúde pública, conta o francês ‘Ouest France’.

Desinfetante made in jail
Traduzindo o título, trata-se de um desinfetante de mãos feito por prisioneiros de Nova Iorque, EUA, e é um esforço para travar o vírus e combater a especulação no preço daquele produto, disse ao ‘New York Post’ o governador Andrew Cuomo.

Airbus A380 em terra
A Qantas vai parar metade da frota de A380, o maior avião do Mundo, devido à quebra de reservas. O A380, escreve o ‘Sydney Morning Herald’ "é a espinha dorsal" da companhia australiana e é usado sobretudo nas ligações a Londres.

Aulas online
As escolas do País Basco, em Espanha, fecharam e a questão colocou-se: "o que fazer para não interromper o programa curricular?". O Governo regional, diz o El Correo, pediu às escolas para avançar com aulas online.

Confiança nos médicos
A Alemanha registou dois óbitos ontem na Renânia do Norte-Vestfália mas um representante dos médicos, Frank Ulrich, garantiu ao ‘Die Welt’ que a "prevenção, deteção e tratamento" no país deve acalmar os cidadãos.

Surto trava Fórmula 1
A revalidação do acordo que poderá manter a Fórmula 1 em São Paulo, no Brasil, está num impasse devido ao coronavírus. O prolongamento do acordo, que termina este ano, depende de negociações, disse o governador do estado à ‘Folha’.

Lavar mãos é que é
O ‘The Star’, de Joanesburgo, na África do Sul, usou vídeos divertidos de lavagem das mãos nas redes Twitter e Tik Tok para explicar que esta regra básica de higiene é das mais eficazes no combate ao coronavírus.

PORMENORES
Motins nas prisões
Pelo menos sete reclusos morreram em motins em várias cadeias italianas na noite de domingo, provocados pela proibição de visitas por causa do coronavírus. Dois guardas foram feitos reféns em Pavia e 50 reclusos fugiram em Foggia.

Madrid fecha escolas
A Comunidade de Madrid anunciou o fecho de todas as escolas e universidades, mandando para casa cerca de 1,5 milhões de alunos. País Basco também fechou escolas.

Alemanha - duas mortes
A Alemanha registou esta segunda-feira as primeiras duas mortes causadas pelo coronavírus, no dia em que os casos confirmados aumentaram para 1139. Já Chipre confirmou esta segunda-feira os primeiros dois casos no país.
Coronavírus Itália China Benjamim Netanyahu A380 Alemanha política questões sociais
Ver comentários