Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Coronavírus deixa mais 4,4 milhões sem trabalho nos EUA

Em cinco semanas, 26 milhões de pessoas fizeram pedidos para subsídio.
Maria Vaz 24 de Abril de 2020 às 08:35
Desemprego nos EUA
Desemprego nos EUA FOTO: Direitos Reservados

Os Estados Unidos registaram na semana passada mais de 4,43 milhões de novos pedidos de subsídio de desemprego, revelou esta quinta-feira o Departamento de Trabalho norte-americano.

Mesmo assim, o número dos pedidos referentes à semana passada, que terminou dia 18, baixou em cerca de 800 mil face aos 5,24 milhões de pedidos registados na semana precedente, concluída a 11 de abril. São mais de 26 milhões de pessoas aquelas que ao longo das últimas cinco semanas, desde o início do estado de emergência nos Estados Unidos, solicitaram este tipo de apoio, à medida que a crise provocada pela pandemia continua a crescer.

Estes dados são conhecidos no dia em que os EUA registaram 1738 vítimas mortais, uma diminuição de 1013 óbitos em relação ao dia anterior, elevando assim para  46 583 o número total de mortes pela Covid-19.

PORMENORES
Mortes no Reino Unido 
O Reino Unido registou esta quinta-feira mais 616 mortes, elevando assim para 18 738 o número total de vítimas no país. O número de casos de contágio é agora de 138 078, mais 4583 do que os registados no dia anterior.

Vítimas sobem em Itália
Em Itália foram registadas 464 vítimas mortais entre quarta e quinta-feira, aumentando o número total de mortos no país para 25 549. O número de pessoas infetadas foi esta quinta-feira de 2646, uma redução de 724 casos diagnosticados.

Espanha com mais óbitos
Foram esta quinta-feira registadas 440 mortes em Espanha, um aumento de cinco vítimas em relação aos números de quarta-feira, contando-se já um total de  22 157 óbitos no país vizinho.

MUNDO EM PORTUGUÊS
Pedida prorrogação de estado de emergência em Angola   
O presidente de Angola solicitou esta quinta-feira à Assembleia Nacional autorização para estender o estado de emergência por mais 15 dias, devido ao novo coronavírus, com algumas alterações, incluindo o levantamento da cerca sanitária provincial e retoma de atividade comercial. O projeto de decreto pede que o estado de emergência, que terminaria às 23h59 de amanhã, seja prolongado das 00h00 de dia 26 até às 23h59 de 10 de maio.

"Grave crise" na Guiné-Bissau
Umaro Sissoco Embaló, reconhecido esta quinta-feira pela Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental como presidente da Guiné-Bissau, afirmou que o país está a enfrentar uma "grave crise" socioeconómica e humanitária devido à pandemia, salientando que é necessário tomar medidas para diminuir o seu impacto.

"Imprensa é canalha", diz Bolsonaro
O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, voltou a atacar os meios de comunicação, desta vez chamando "canalha" à imprensa e afirmando que os jornalistas "inventam tudo", sem no entanto esclarecer o motivo dos ataques. Bolsonaro proferiu os ataques
à saída da residência oficial em Brasília, o palácio da Alvorada.

Financiamento do FMI para a saúde   
O governo de Cabo Verde anunciou que o financiamento de 30 milhões de euros do Fundo Monetário Internacional (FMI), para combater os efeitos da pandemia, vai servir para reforçar o setor da Saúde. Em comunicado, o governo afirmou que o objetivo desta verba é, "por um lado, combater os efeitos da Covid-19 mas, por outro, tornar o setor mais resiliente e com maior capacidade de resposta, através do reforço do acesso aos cuidados de saúde".

VOLTA AO MUNDO
Presos indultados
O Peru vai indultar três mil reclusos que estão em maior risco de contágio. Entre os beneficiados estão mulheres com crianças menores de três anos, mulheres grávidas e maiores de 60 anos que não cometeram crimes graves.

Testes falsos
O governo espanhol comprou testes falsos de rastreamento à empresa chinesa Bioeasy, pelos quais pagou mais do dobro do preço. Foram pagos a 26 euros por cada teste, sendo que a empresa os comercializava por 13.

27 mil avaliados
A República Checa começou esta quinta-feira a testar pessoas no âmbito de um estudo para conhecer infeções não detetadas da Covid-19 entre a população. Perto de 27 mil pessoas entre os 18 e 89 anos serão testadas nas próximas duas semanas.

animais infetados
Há cinco tigres e três leões do jardim zoológico de Bronx, em Nova Iorque, que estão infetados com a Covid-19, depois de no início do mês outro tigre ter testado positivo. Apanharam a doença através de um membro da equipa de tratadores.

Laboratórios móveis
A Alemanha enviou dois laboratórios móveis para ajudar no diagnóstico de casos no Ruanda e Uganda, no âmbito de um projeto já existente desde 2018 que visava a criação de laboratórios para detetar doenças infecciosas na região. 

Homenagem
O departamento policial de Fort Myers, na Florida, prestou uma homenagem aos profissionais de saúde e, usando 15 carros-patrulha, formaram um coração no parque de estacionamento do Hospital Memorial Lee.

40 mil testes diários
O estado de Nova Iorque quer atingir os 40 mil testes diários. O governador Andrew Cuomo afirmou que duplicar o número diário de testes pode revelar percentagens de infeção "em torno de 10% da população da cidade de Nova Iorque".

Falta de preservativos
A diretora do Fundo de População das Nações Unidas, Natalia Kanem, alertou que o setor dos preservativos enfrenta um "cenário muito preocupante" de escassez de material, visto que fábricas e circuitos de distribuição estão parados.   

Anónima dá um milhão 
Uma doadora anónima ofereceu um milhão de euros à Universidade de Castilla-La Mancha, em Espanha, para que possam ser feitos testes em massa. A doação surgiu depois de a universidade ter lançado o projeto #UCLMcontraCovid19.

China contribui
Depois de os EUA terem suspendido a sua contribuição no início da semana passada para a Organização Mundial de Saúde, a China anunciou esta quinta-feira que iria aumentar a sua contribuição para a organização em 28 milhões de euros.

Ver comentários