Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Decapita namorada de 17 anos e deixa a cabeça à porta de casa da mãe desta

Ex-guarda-prisional perpetrou o crime e foi assistir a um jogo enquanto bebiam álcool e consumiam drogas.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 27 de Fevereiro de 2020 às 16:43
Ivanhoé de Oliveira Lima
Ivanhoé de Oliveira Lima FOTO: Direitos Reservados

Um antigo guarda prisional, identificado pela polícia como Ivanhoé de Oliveira Lima, foi preso na cidade brasileira de Rio Branco, capital do estado do Acre, acusado de ter assassinado e decapitado a namorada com quem vivia, Larissa Aurélia Costa Silva, de apenas 17 anos. Ele foi preso quando, após o brutal crime, foi assistir futebol num campo da cidade com vários amigos.

Num requinte de crueldade, ainda de acordo com o relatório da investigação, depois de decapitar Larissa, Ivanhoé levou a cabeça da jovem até à casa da mãe desta, no mesmo bairro onde viviam, o Jorge Kalume, e deixou-a à porta da residência. Ele e Larissa viviam maritalmente há cerca de dois anos, desde que ela, com menos da metade da idade dele, tinha apenas 15 anos.

O brutal assassínio aconteceu depois de uma violenta discussão entre o casal, que o suspeito terá confessado na esquadra, tal como o crime, mas cujos motivos se recusou a avançar. A certa altura, mais uma vez segundo a investigação, Ivanhoé matou Larissa à facada e cortou-lhe a cabeça.

Depois de deixar o macabro despojo humano à porta da casa da mãe da vítima, Ivanhoé foi ter com amigos e todos foram para um campo no bairro Tangará, também em Rio Branco, assistir a um jogo enquanto bebiam álcool e consumiam drogas. Ivanhoé foi expulso da função de guarda prisional em 2013, depois de ser apanhado a entrar na cadeia onde trabalhava levando uma carga de fermento com que os presos fabricam uma forte aguardente conhecida nas prisões como "Maria Louca"..

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)