Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Depoimentos dos generais Dino e Kopelipa adiados

Homens-fortes do regime de José Eduardo dos Santos foram constituídos arguidos por processo relacionado com contratos entre o Estado angolano e empresa chinesa.
Ricardo Ramos 7 de Outubro de 2020 às 08:43
Generais 'Dino' e 'Kopelipa', homens-chave de José Eduardo dos Santos, constituídos arguidos no processo CIF
Generais 'Dino' e 'Kopelipa', homens-chave de José Eduardo dos Santos, constituídos arguidos no processo CIF FOTO: DR
As audições dos generais Leopoldino do Nascimento ‘Dino’ e Hélder Vieira Dias Júnior ‘Kopelipa’ na Direção Nacional de Investigação e Ação Penal da Procuradoria-Geral de Angola foram adiadas a pedido dos próprios, tendo sido remarcadas para os próximas dias 13 e 14.

Os dois antigos homens-fortes do regime do ex-presidente José Eduardo dos Santos foram na semana passada constituídos arguidos por suspeita de desvio de fundos no âmbito do processo relacionado com os contratos entre o Estado angolano e a empresa chinesa China International Fund (CIF). As autoridades judiciais recusaram precisar as acusações de que são alvo, uma vez que ainda terão de ser ouvidos. Segundo o ‘Jornal de Angola’, os dois generais vão ser ouvidos na condição de arguidos para lhes serem aplicadas as respetivas medidas de coação, mas não podem ser presos preventivamente antes do despacho de pronúncia porque “gozam de imunidades”.

Em fevereiro deste ano, o Serviço Nacional de Recuperação de Ativos da PGR apreendeu os edifícios CIF Luanda One e CIF Two, os mais altos do distrito de Ingombota, Luanda, com 25 andares e propriedade da CIF Angola. A apreensão ocorreu uma semana depois de a PGR ter mandado apreender mais de mil imóveis inacabados, edifícios, estaleiros e terrenos propriedade da mesma empresa e da sua congénere CIF Limited, sediada em Hong Kong. Segundo as autoridades judiciais, estes imóveis terão sido pagos com fundos públicos, “mas não estavam na esfera patrimonial do Estado”. Em abril do ano passado, a Procuradoria-Geral angolana já tinha anunciado a recuperação de mais de 262 milhões de euros ao consórcio CIF Angola, na qualidade de empresa gestora do projeto de construção do novo Aeroporto de Luanda. Em fevereiro, ‘Dino’ e ‘Kopelipa’ negaram ao ‘Expresso’ ter qualquer ligação ao consórcio chinês. n *com agências

Jornalista acusa TV Zimbo de censura
O jornalista Carlos Rosado de Carvalho acusou no fim de semana a TV Zimbo de censura após alegada interferência da Comissão de Gestão do canal na linha editorial da rubrica ‘Direito ao Ponto’, que apresenta aos sábados no final do ‘Jornal da Noite’. Rosado de Carvalho pretendia abordar o caso Edeltrudes Costa, chefe de gabinete do presidente João Lourenço que terá sido alegadamente beneficiado em contratos com o Estado que renderam milhões, mas foi-lhe dito que o tema “não era oportuno”.
Ver comentários