Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Desemprego bate recorde nos EUA durante pandemia do coronavírus

Calamidade destruiu 3,3 milhões de empregos numa semana, dizem dados oficiais.
Ricardo Ramos 27 de Março de 2020 às 08:58
Coronavírus nos EUA
Coronavírus nos EUA FOTO: EPA

A pandemia de coronavírus destruiu mais de três milhões de empregos numa semana nos Estados Unidos, revelam dados oficias que ilustram o impacto devastador da Covid-19 na economia e na vida dos cidadãos.

Na semana passada, quase 3,3 milhões de pessoas pediram o subsídio de desemprego em todo o território americano, esmagando o anterior recorde de 695 mil durante a recessão de 1982. Os setores mais afetados são a hotelaria, a restauração e os serviços, devido ao fecho de estabelecimentos e empresas por causa da quarentena decretada em grande parte dos estados americanos. "Podemos muito bem já estar em recessão", admitiu o presidente da Reserva Federal, Jerome Powell.

Os EUA ultrapassaram esta quinta-feira as mil mortes causadas por Covid-19 e estão em terceiro lugar na lista dos países com mais casos, atrás da China e Itália.

PORMENORES
Resgate de 2 biliões
O Congresso dos EUA deverá esta sexta-feira dar luz verde ao pacote de estímulos económicos no valor de 2 biliões de dólares (1,8 biliões de euros) negociado com a Casa Branca para aliviar os efeitos da pandemia na economia americana. Famílias vão receber no prazo de três semanas até 3 mil dólares (2700 euros) para ajudar a enfrentar a crise.

Próximo epicentro
A Organização Mundial de Saúde advertiu esta semana que os Estados Unidos podem tornar-se o próximo epicentro da pandemia mundial de Covid-19, face ao crescimento exponencial da doença nos últimos dias. Os estados de Nova Iorque, Washington e Califórnia são os mais afetados pela pandemia, que já colocou cerca de metade da população americana de quarentena.

MUNDO EM PORTUGUÊS
Casos aumentam em Moçambique
O número de casos confirmados de infeções por Covid-19 em Moçambique aumentou esta quinta-feira de cinco para sete, anunciou a diretora Nacional de Saúde Pública, Rosa Marlene, adiantando que os novos casos "apresentam sintomas ligeiros e estão sob quarentena domiciliar". Trata-se de dois homens com mais de 40 anos, um moçambicano e outro estrangeiro, que estiveram fora do país e regressaram na primeira quinzena de março. Dos sete casos confirmados, seis são importados e um de transmissão local, adiantou Rosa Marlene.

Especulação
Pelo menos cinco pessoas já foram detidas em Luanda por especulação de preços de material de proteção e de produtos da cesta básica, anunciou o Instituto Nacional de Defesa do Consumidor de Angola. Os detidos são dois farmacêuticos e três comerciantes, incluindo o gerente de uma superfície comercial.

Troca de acusações
O primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Aristides Gomes, disse esta quinta-feira que a entrada do coronavírus podia ter sido travada pelo plano de contingência preparado pelo seu governo, "caso não tivesse havido um golpe de Estado no país que fez colapsar os dispositivos previamente montados". Gomes referia-se à tomada de posse do autoproclamado presidente Umaro Sissoco Embaló, que demitiu o seu governo e nomeou Nuno Nabian como primeiro-ministro.

Repatriamento
A TAP tenciona realizar esta sexta-feira dois voos de repatriamento de cidadãos portugueses retidos pelo fecho das fronteiras em Angola e Cabo Verde. Além de trazer de volta cerca de 400 portugueses, os aviões vão ainda transportar carga médica e humanitária.

Carta aberta
Vinte e cinco dos 27 governadores estaduais brasileiros escreveram uma carta aberta ao presidente, Jair Bolsonaro, a pedir mais ajuda federal para combater a epidemia do coronavírus. Os mesmo governadores já tinham ignorado os apelos do presidente para levantarem as medidas de isolamento social decretadas unilateralmente nos respetivos estados perante a inação do governo federal.

Apoio a famílias
O governo cabo-verdiano vai anunciar esta sexta-feira um pacote de medidas de apoio ao setor informal da economia e às famílias, face à crise provocada pela pandemia de Covid-19, com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, a garantir que ninguém ficará desprotegido. O chefe do executivo pediu ainda ao presidente Jorge Carlos Fonseca a "declaração imediata" do estado de emergência no país, que irá permitir ao governo reforçar as medidas de prevenção, nomeadamente a obrigatoriedade legal de as pessoas permanecerem em casa e o encerramento de serviços e empresas privadas.

Médicos frustrados
Os médicos angolanos sentem-se preparados para fazer frente à epidemia mas o sentimento que prevalece na classe é de "frustração" devido à carência de equipamentos de proteção pessoal, revelou o presidente do sindicato.

VOLTA AO MUNDO
Alta prematura
Uma mulher de 81 anos morreu de coronavírus em Valladolid, Espanha, apenas 36 horas depois de ter tido alta dos Cuidados Intensivos. Um vídeo publicado na altura mostrava os médicos a aplaudirem a recuperação da idosa.     

Quarentena a sério
As autoridades da Jordânia foram forçadas a suavizar as draconianas medidas de quarentena impostas no país, que proibiam qualquer saída à rua. Ao fim de quatro dias, lá perceberam que as pessoas tinham de sair de casa para comprar comida.

Americanos fora
Virou-se o feitiço contra o feiticeiro... Devido ao alastramento sem controlo da epidemia de Covid-19 nos EUA, centenas de mexicanos bloquearam a fronteira de Sonora para exigir a proibição da entrada de americanos no país. 

Testes não funcionam
É a polémica do momento em Espanha. O governo comprou na China milhares de testes rápidos de deteção do coronavírus que... não funcionam. Pequim rejeita culpas e diz que Espanha comprou os testes a uma empresa não licenciada. 

500 mil voluntários
Mais de 500 mil britânicos inscreveram-se como voluntários para ajudar as autoridades de saúde a cuidar dos mais vulneráveis, num movimento de solidariedade que mobiliza estudantes, médicos reformados e desempregados.

Ironia religiosa
A catedral de Aachen, Alemanha, está a restaurar o relicário de uma das suas santas menos conhecidas, mas que subitamente ganhou novo interesse. Trata-se da padroeira das epidemias resistentes e o seu nome é... Santa Corona.

Polícias de varanda
O ‘El País’ dá conta da nova moda dos ‘polícias de varanda’, pessoas que ficam à janela e insultam os vizinhos e outras pessoas que passam por, alegadamente, violarem a quarentena. Chegam a gravar vídeos e  a publicar nas redes sociais.

Corrida à adoção
A quarentena está a ter um efeito curioso em Nova Iorque: os centros de recolha de animais estão a ficar sem cães para adoção. Será que os nova-iorquinos procuram companhia nestes tempos difíceis ou uma desculpa para poderem sair à rua?

Astrólogo avisou
O ‘El Mundo’ chama-lhe "o astrólogo do coronavírus". Vicente Cassanya escreveu em 1989 que o alinhamento de Júpiter, Saturno e Plutão em 2020 ia criar "um dos momentos-chave" do século. "Será o fim do capitalismo como o conhecemos."

Tosse dá prisão
As autoridades britânicas avisaram que quem tossir deliberadamente para cima de polícias, médicos ou outros trabalhadores essenciais como forma de ameaça pode ser punido com pena de prisão até dois anos.

Ver comentários