Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Detido médico suspeito de matar doentes Covid-19 para libertar camas de hospital

Carlo Mosca é acusado de ter assassinado dois pacientes com doses letais de anestésicos.
Correio da Manhã 26 de Janeiro de 2021 às 14:40
Carlo Mosca
Carlo Mosca
Carlo Mosca
Carlo Mosca
Carlo Mosca
Carlo Mosca
Carlo Mosca, um médico italiano de 47 anos, foi detido por ser suspeito de ter assassinado dois doentes com Covid-19 com doses letais de anestésicos de forma a "libertar camas". 

O caso remonta a março de 2020 na Lombardia, em Itália, e as vítimas foram Natale Bassi, de 61 anos e Angelo Paletti, de 80. 

O suspeito estava a coordenar as urgências do hospital de Montichiari, na Lombardia, e foram as mensagens de Whatsapp intercetadas, trocadas entre enfermeiras, que o denunciaram. "Não vou matar doentes só porque ele quer libertar camas", referiu uma enfermeira em conversa com um colega, que lhe respondeu afirmando que não estava no hospital mas que a situação era uma "loucura". 

Segundo o jornal italiano Corriere della Sera, o médico preparava dois medicamentos que costumam ser usados antes de entubar um doente e pedia aos enfermeiros que os administrassem. 

Carlo Mosca é médico-chefe interino do Hospital de Montichiari e foi detido e colocado em prisão domiciliária. A acusação é de ter administrado intencionalmente medicamentos com efeito anestésico e bloqueador neuromuscular a doentes Covid provocando a morte de dois dos doentes ao seu cuidado.

Os corpos das vítimas eram enviados à noite para autópsia em Pádua. O objetivo era evitar fuga de informação que levasse a consequente investigação.
Covid-19 Carlo Mosca saúde
Ver comentários