Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Docente condenado nos EUA por causa de ligações à China

Charles Lieber, professor de Harvard, ocultou a sua colaboração com um programa de recrutamento que preocupa os norte-americanos.
Francisco J. Gonçalves 23 de Dezembro de 2021 às 08:40
Professor Charles Lieber, da Universidade de Harvard, foi condenado na terça-feira por ocultar a sua ligação a um programa de recrutamento chinês
Professor Charles Lieber, da Universidade de Harvard, foi condenado na terça-feira por ocultar a sua ligação a um programa de recrutamento chinês FOTO: Reuters
O professor Charles Lieber, da Universidade de Harvard, foi condenado na terça-feira por ocultar a sua ligação a um programa de recrutamento chinês. O caso põe em relevo a preocupação crescente nos EUA com a espionagem industrial do rival asiático.

Um tribunal de Boston considerou Lieber culpado de mentir às autoridades, de entregar falsas declarações de IRS e de ocultar uma conta bancária na China.

Antigo diretor do departamento de química de Harvard, Lieber ocultou deliberadamente o seu envolvimento no programa de recrutamento chinês ‘Plano dos Mil Talentos’, que visa atrair especialistas estrangeiros de diversas áreas para a China. Acontece que esse programa é considerado há muito um problema de segurança nacional para os EUA, pelo que o envolvimento de Lieber mereceu atenção imediata.

Em 2011, o professor juntou-se à Universidade de Tecnologia de Wuhan, recebendo quase 45 mil euros mensais e despesas de representação superiores a 130 mil euros, devendo, em troca, procurar registar patentes e publicar artigos em nome dos chineses. O crime do docente não foi trabalhar para a China e sim um conflito de interesses. É que Lieber tinha recebido mais de 13 milhões de euros em subsídios nos EUA e estava obrigado a declarar apoios de governos ou organizações estrangeiras.
Ver comentários