Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Donald Trump despede diplomata incómoda

Presidente aparece em gravação a dizer “livrem-se dela, tirem-na de lá amanhã”.
Octávio Lopes 27 de Janeiro de 2020 às 01:30
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump
Marie Yovanovitch, uma das testemunhas-chave do processo de destituição, considerou as palavras de Trump como “muito intimidatórias”
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump
Marie Yovanovitch, uma das testemunhas-chave do processo de destituição, considerou as palavras de Trump como “muito intimidatórias”
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump
Marie Yovanovitch, uma das testemunhas-chave do processo de destituição, considerou as palavras de Trump como “muito intimidatórias”

"Livrem-se dela! Tirem-na de lá amanhã. Eu não me importo. Ok? Façam isso." Esta ordem de Donald Trump aparece num vídeo divulgado no sábado à noite pelos media norte-americanos e diz respeito à embaixadora dos EUA na Ucrânia, Marie Yovanovitch. A diplomata acabou mesmo despedida. Era considerada um obstáculo à investigação aos negócios de Hunter Biden - filho de Joe Biden, o democrata que poderá defrontar Trump nas eleições presidenciais de novembro - na Ucrânia.

O vídeo foi gravado numa sala privada do Trump International Hotel em Washington, no dia 30 de abril de 2018, onde decorreu um jantar que contou com vários empresários que apoiavam a presidência dos EUA. Entre eles estavam Lev Parnas - terá sido o seu advogado, Joseph Bondy, quem divulgou a gravação - e Igor Fruman, que são próximos de Rudy Giuliani, o advogado pessoal de Trump.

Em outubro do ano passado, Parnas e Fruman foram presos, acusados de integrar uma "rede de interações financeiras e políticas que vinculam a diplomacia a supostas violações da lei de financiamento de campanhas". Na gravação, Parnas afirma que Trump conhecia bem a campanha de pressão contra a Ucrânia no caso Biden. O empresário, aliás, já tinha dado aos investigadores mensagens, fotos e anotações que provam o seu envolvimento e o de Trump na pressão à Ucrânia, de forma a que o país pudesse continuar a contar com a ajuda militar dos EUA. Diz ainda a Trump que Yovanovitch é "um problema" e lembrou a sua ligação à família Clinton. Trump já disse que não conhece Parnas, afirmação que o vídeo desmente.

Quando foi ouvida no processo de impeachment, a embaixadora afirmou que se sentiu ameaçada por Trump e que outro diplomata a aconselhou a publicar tweets a elogiar Trump para manter o lugar. A Casa Branca não pôs em causa a autenticidade da gravação, mas lembrou que cada administração tem o poder de nomear pessoas da sua total confiança.

SAIBA MAIS
18
de dezembro de 2019 foi o dia em que a Câmara dos Representantes dos EUA aprovou dois artigos para a destituição de Donald Trump, que está acusado de abuso de poder e obstrução da Justiça. O processo está agora no Senado.

Pressões
Trump é acusado de ter pressionado Volodimir Zelenski, presidente da Ucrânia, para que abrisse uma investigação no sentido de prejudicar Joe Biden, que está a disputar a nomeação pelos democratas para as eleições presidenciais de novembro.

Marie Yovanovitch Donald Trump EUA Lev Parnas Ucrânia Joe Biden Hunter Biden Igor Fruman política
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)