Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Donald Trump faz humor com interferência da Rússia

Críticos lembram que o caso é demasiado sério para ser alvo de brincadeiras públicas.
Francisco J. Gonçalves 29 de Junho de 2019 às 09:26
Trump fingiu admoestar o presidente russo por este ter tentado manipular as eleições presidenciais de 2016 nos EUA
Trump e Putin
'Não te intrometas nas eleições': Trump faz piada para Putin durante cimeira do G20
Trump fingiu admoestar o presidente russo por este ter tentado manipular as eleições presidenciais de 2016 nos EUA
Trump e Putin
'Não te intrometas nas eleições': Trump faz piada para Putin durante cimeira do G20
Trump fingiu admoestar o presidente russo por este ter tentado manipular as eleições presidenciais de 2016 nos EUA
Trump e Putin
'Não te intrometas nas eleições': Trump faz piada para Putin durante cimeira do G20
Donald Trump está no centro de nova polémica. Num encontro com Vladimir Putin à margem do G-20, em Osaka, brincou com a intromissão da Rússia nas eleições de 2016, nos EUA, apesar de a gravidade do caso ter motivado uma investigação de dois anos.

"Não se intrometa nas eleições, se faz favor", disse Trump, com o dedo apontado ao líder russo, como quem repreende uma criança. Putin não evitou o riso.

A ligeireza com que Trump abordou assunto tão sério mereceu críticas. "A Rússia atacou a nossa democracia e planeou colocar Trump na Sala Oval. Não é para rir", afirmou, no Twitter, o congressista democrata Hakeem Jeffries.

Recorde-se que a investigação de Robert Mueller concluiu que a Rússia tentou manipular as eleições de 2016 mas não encontrou provas de conspiração com a campanha de Trump.

O bom entendimento com Putin foi sublinhada por outro comentário jocoso de Trump, desta vez sobre os jornalistas. "Livrem-se deles. ‘Fake news’, é uma grande expressão, não é?", perguntou, concluindo: "Não têm esse problema na Rússia".

Ao que Putin respondeu: "Temos sim, é a mesma coisa".

PORMENORES 
Gaffe de Bolsonaro
O presidente francês, Emmanuel Macron, soube pela imprensa que teria uma reunião bilateral com Bolsonaro, anunciada pelos brasileiros sem consulta aos franceses. Para corrigir a gaffe, Bolsonaro cancelou a reunião mas acabou por procurar Macron para uma conversa de 20 minutos.

May condena ataque
A PM britânica, Theresa May, usou a reunião bilateral com o presidente russo, Vladimir Putin, para condenar o ataque com agente de nervos que em março de 2018, em Salisbury, visou um antigo agente russo e a filha.
Donald Trump Rússia G-20 Osaka Theresa May EUA Bolsonaro Emmanuel Macron política eleições diplomacia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)