Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Donald Trump sofreu “abuso emocional” do pai

Traumas de infância ajudaram a criar “o homem mais perigoso do Mundo”, alega sobrinha do presidente em memória explosiva.
Ricardo Ramos 8 de Julho de 2020 às 01:30
Donald Trump sofreu “abuso emocional” do pai
Família Trump tentou travar a obra na Justiça
Mary L. Trump diz que traumas ajudaram a formar personalidade instável e narcisista de Trump
Donald Trump sofreu “abuso emocional” do pai
Família Trump tentou travar a obra na Justiça
Mary L. Trump diz que traumas ajudaram a formar personalidade instável e narcisista de Trump
Donald Trump sofreu “abuso emocional” do pai
Família Trump tentou travar a obra na Justiça
Mary L. Trump diz que traumas ajudaram a formar personalidade instável e narcisista de Trump
U m novo livro explosivo alega que Donald Trump sofreu “abuso emocional” às mãos do pai, Fred Trump, que o aterrorizava e nunca foi capaz de o fazer sentir-se “seguro, amado ou apreciado”. O resultado foi uma infância traumática no seio de uma família disfuncional que ajudou a criar “o homem mais perigoso do Mundo”.

O livro é assinado por Mary L. Trump, sobrinha do presidente dos EUA e formada em Psicologia Clínica, e deverá chegar às bancas na próxima terça-feira apesar das tentativas da família Trump para o bloquear nos tribunais. Nele, a autora revela que Trump foi “abandonado” em criança pela mãe, doente, e entregue aos cuidados de um pai viciado no trabalho “que acreditava que cuidar dos filhos não era o seu dever” e que é descrito no livro como “um sociopata altamente funcional”. “Donald viu-se privado da mãe, sua única fonte de conforto e contacto humano. O pai tornou-se o único progenitor disponível”, escreve Mary Trump na contracapa do livro. “O amor não significava nada para Fred Trump, ele só esperava obediência.

Com o passar do tempo, Donald começou a ter medo de que os seus pedidos de conforto e atenção resultassem na fúria e indiferença do pai quando se sentia mais vulnerável”. O jovem Donald acabaria por sofrer privações “que iriam traumatizá-lo para sempre” e ajudaram a criar uma personalidade “narcisista, maldosa e com a mania da grandiosidade”. “Hoje, Donald Trump é igual ao que era com três anos: incapaz de crescer, aprender ou evoluir, de gerir as suas emoções, moderar as suas respostas ou receber e analisar informação”, conclui a sobrinha de Trump no seu livro explosivo.

Livro de amiga de Melania causa receio
Como se não bastassem as revelações bombásticas da sobrinha de Trump, uma antiga amiga e assessora de Melania Trump decidiu também escrever um livro de memórias "explosivo" sobre a sua amizade com a primeira-dama. Intitulado ‘Melania e Eu’, o livro de Stephanie Winston Wolkoff deverá chegar às bancas em setembro e promete fazer revelações sobre Melania, a sua relação com Trump e a vida na "Casa Branca mais caótica da História dos EUA".

De acordo com a editora, o livro narra a história de uma amizade de 15 anos que começou em Nova Iorque e que levou a autora "até à Ala Este da Casa Branca", onde assumiu o papel de principal assessora e confidente da primeira-dama. Uma relação que terminou de forma abrupta e controversa em fevereiro de 2018, quando a empresa de Stephanie Wolkoff foi acusada de lucrar mais de 26 milhões de dólares com a cerimónia de investidura de Trump, que ajudou a organizar. A ex-amiga de Melania queixa-se de ter sido "atirada para debaixo de um autocarro" e tem contas a acertar, pelo que o livro promete trazer a público novas polémicas.

Batalha nos tribunais para tentar travar o livro
A família Trump está a lutar nos tribunais para tentar travar a publicação do livro de Mary L. Trump, intitulado ‘Demasiado e Nunca Suficiente - Como a Minha Família Criou o Homem Mais Perigoso do Mundo’. O processo legal baseia-se num acordo de confidencialidade assinado há mais de 20 anos, e já foi rejeitado por dois tribunais. Uma decisão final deverá ser tomada no final desta semana.

Ex-conselheiro denunciou incompetência
A Casa Branca foi abalado no mês passado pela publicação do livro de memórias de John Bolton, ex-conselheiro de Segurança Nacional, que acusa Trump de bajular ditadores como Putin, Erdogan ou Xi Jinping, fazer chantagem com países aliados e de ser "manifestamente incompetente" para o cargo que desempenha. Bolton diz ainda que Trump "ignora factos básicos", incluindo que a Finlândia não faz parte da Rússia.

Retrato de uma família disfuncional
Mary L. Trump e passou grande parte da infância em casa dos avós em Queens, Nova Iorque, o que a ajudou a traçar um retrato de uma família "tóxica" e "disfuncional", em que os seres humanos "são avaliados em termos monetários", "se desencoraja a assunção de responsabilidade pelos erros" e "aldrabar é uma forma de vida".

Enganada na partilha da fortuna do avô
O pai de Mary L. Trump, Fred Trump Jr., irmão mais velho do presidente, morreu em 1981, com pouco mais de 40 anos, devido a problemas relacionados com alcoolismo. O livro é um "ajuste de contas" de Mary com a família, que a autora acusa de a ter defraudado na partilha da herança do avô, Fred Trump Sr., que faleceu em 1999.

Denunciou negócios fraudulentos
O livro revela que Mary L. Trump foi a fonte principal das notícias de 2018 sobre os negócios fraudulentos do império Trump que valeram o Prémio Pulitzer ao ‘The New York Times’. Entre outras revelações, o jornal escreveu que Trump herdou 400 milhões de dólares do pai, deitando por terra a imagem de ‘self-made man’.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)