Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Eficiência na aviação conta mais do que o tamanho

Mais eficazes, autónomos e mais limpos é a aposta da indústria aeronáutica para os maiores aparelhos do Mundo.
Miguel Dias 2 de Fevereiro de 2020 às 07:35
Airbus Beluga XL
Airbus Beluga XL no seu primeiro voo
O maior avião de passageiros da história da aviação tem os dias contados. A Airbus anunciou o fim do A380, equipado com bar, ginásio, cama ou duche, que desaparece antes do seu concorrente, o Jumbo 747 da Boeing. A portuguesa HiFly opera um A380 que aparca em Beja.
Construído em fibra de carbono, o A350 é a aposta da Airbus na eficiência energética. Este aparelho é o concorrente do Dreamliner, da rival Boeing , e tem sido usado para viagens de longo curso com redução de escalas – nomeadamente nas ligações à Ásia.n
Airbus Beluga XL
Airbus Beluga XL no seu primeiro voo
O maior avião de passageiros da história da aviação tem os dias contados. A Airbus anunciou o fim do A380, equipado com bar, ginásio, cama ou duche, que desaparece antes do seu concorrente, o Jumbo 747 da Boeing. A portuguesa HiFly opera um A380 que aparca em Beja.
Construído em fibra de carbono, o A350 é a aposta da Airbus na eficiência energética. Este aparelho é o concorrente do Dreamliner, da rival Boeing , e tem sido usado para viagens de longo curso com redução de escalas – nomeadamente nas ligações à Ásia.n
Airbus Beluga XL
Airbus Beluga XL no seu primeiro voo
O maior avião de passageiros da história da aviação tem os dias contados. A Airbus anunciou o fim do A380, equipado com bar, ginásio, cama ou duche, que desaparece antes do seu concorrente, o Jumbo 747 da Boeing. A portuguesa HiFly opera um A380 que aparca em Beja.
Construído em fibra de carbono, o A350 é a aposta da Airbus na eficiência energética. Este aparelho é o concorrente do Dreamliner, da rival Boeing , e tem sido usado para viagens de longo curso com redução de escalas – nomeadamente nas ligações à Ásia.n
A Airbus anunciou as operações do Beluga XL, um avião de carga que é conhecido como a ‘baleia voadora’. Pensado e desenvolvido para transportar componentes de aviões, o Beluga é um dos gigantes do ar. Com 63 metros de comprimento e 8 metros de largura, vence até 4 mil quilómetros com uma carga máxima de 51 toneladas.

São números que colocam o Beluga no grupo dos superaviões, mas não se pense que este é o único monstro da Airbus. É do construtor europeu o maior avião de passageiros, o A380, um título que tem os dias contados. A rival Boeing tem em testes o 777X, destinado a substituir o icónico ‘Jumbo’ 747 do construtor de Chicago. Com capacidade para transportar até 850 passageiros em classe única, a maioria das companhias usa uma configuração que reduz esse número para cerca de 500 ocupantes. O modelo vai ser descontinuado em breve e as últimas entregas serão feitas em 2021. A capacidade do A380 ultrapassa a do maior avião de passageiros em operação alguma vez feito pela Boeing, o 747.

Se em tempos o tamanho foi relevante na aviação, agora a eficiência é o que conta. O Boeing 787 Dreamliner, com capacidade para 336 passageiros, é um aparelho de 68 metros de comprimento construído para ser leve, poupado e com um nível de pressão maior na cabine – o que lhe permite ter mais oxigénio a bordo com consequente redução do cansaço dos passageiros.

A Airbus já respondeu com o A350, que transportando até 350 pessoas tem uma autonomia invejável e uma boa eficácia energética, graças à fuselagem construída à base de fibra de carbono.

O grupo dos superaviões continua a ser liderado pelo Antonov 225, um gigante fabricado na Ucrânia destinado ao transporte de carga. Os números e envergadura impressionam. Tem 84 metros de comprimento, 88 de envergadura e 18 de altura, e consegue colocar no ar umas impressionantes 640 toneladas.

Airbus A350 é a nova arma contra Boeing
Construído em fibra de carbono, o A350 é a aposta da Airbus na eficiência energética. Este aparelho é o concorrente do Dreamliner, da rival Boeing , e tem sido usado para viagens de longo curso com redução de escalas – nomeadamente nas ligações à Ásia.

Do bar para a cama a bordo do Airbus A380
O maior avião de passageiros da história da aviação tem os dias contados. A Airbus anunciou o fim do A380, equipado com bar, ginásio, cama ou duche, que desaparece antes do seu concorrente, o Jumbo 747 da Boeing. A portuguesa HiFly opera um A380 que aparca em Beja.

Beluga Airbus Boeing A380 Jumbo Dreamliner A350 economia negócios e finanças transportes aviação
Ver comentários