Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Espanha estabelece horas fixas para passear de modo a evitar aglomerações

Adultos, idosos e crianças com períodos horários separados para sair à rua.
Ricardo Ramos 1 de Maio de 2020 às 10:35
Autoridades espanholas querem evitar aglomerações nas ruas
Autoridades espanholas querem evitar aglomerações nas ruas FOTO: Reuters

Já a partir de amanhã, os espanhóis vão poder voltar a sair à rua para passear ou fazer desporto, mas com  horários fixos e regras apertadas.

Assim, os adultos saudáveis poderão sair de casa, acompanhados por outra pessoa, entre as 06h e as 10 da manhã e novamente entre as 20h e as 23h. Se for para passear, só poderão deslocar-se até um quilómetro da residência, enquanto  se for para fazer desporto - como correr ou andar de bicicleta - não terão limite de distância desde que não saiam do concelho de residência.

Já os idosos e outras pessoas dependentes poderão sair com um acompanhante/cuidador das 10h às 12h e das 19h às 20h, enquanto as crianças poderão brincar na rua ou passear com um adulto entre as 12h e as 19h. As medidas não se aplicam nas povoações com menos de 5 mil habitantes, "onde não há risco de aglomerações".

PORMENORES
268 mortes e 1309 casos
Os números diários de mortes e de novos casos de coronavírus continuam a cair em Espanha.  O país somou esta quinta-feira 268 mortes, o menor número desde 20 de março, e 1309 casos novos.

Vírus sob controlo
Sete províncias espanholas -  Andaluzia, Canárias, Astúrias, Baleares, Comunidade Valenciana, Extremadura e Múrcia - registaram esta quinta-feira menos de dois casos por 100 mil habitantes, sinal de que a epidemia está praticamente sob controlo. Galiza, Cantábria e Múrcia não registaram esta quinta-feira qualquer morte.

Economia afunda 5,2%
A economia espanhola caiu 5,2% no primeiro trimestre do ano por causa da pandemia. Esta foi a maior queda registada no país em quase um século.

MUNDO EM PORTUGUÊS
Manaus enterra vítimas em valas comuns   
A cidade de Manaus, uma das mais atingidas pela pandemia no Brasil, foi obrigada a sepultar as vítimas em valas comuns devido à falta de capacidade dos cemitérios e das morgues locais. Os caixões começaram por ser enterrados em grupos de cinco, mas agora as autoridades municipais decidiram abrir valas com capacidade para 20 urnas devido ao elevado número de vítimas. Só no domingo foram sepultadas 140 pessoas na cidade.   

Mais três casos positivos na cidade da Praia 
Foramesta quinta-feira registados mais três casos positivos na Cidade da Praia, a capital de Cabo Verde, aumentando o total de pessoas infetadas no país para 116, avançou o Ministério da Saúde. As autoridades adiantaram que " a situação clínica dos casos confirmados continua estável". Com os três novos casos, a Praia, onde a transmissão já se tornou comunitária, passa a registar 60 casos positivos, e toda a ilha de Santiago um total de 63.    

Três novos infetados em São Tomé e Príncipe
São Tomé e Príncipe registouesta quinta-feira mais três casos positivos de coronavírus, elevando o total no país para 14 casos, sendo que 10 destes encontram-se internados e quatro estão curados. A diretora dos Cuidados de Saúde, Feliciana Pontes, afirmou que "a doença ainda não chegou à ilha do Príncipe". 

Testes coercivos em Angola
A polícia de Angola avisou que os cidadãos que não se apresentarem voluntariamente para fazer os testes à Covid-19 vão ser "recolhidos coercivamente". O subcomissário Valdemar José apelou aos " indivíduos que tiveram contacto com suspeitos contaminados ou casos ativos, por favor, ajudem a denunciá-los".

VOLTA AO MUNDO
Presos em cruzeiros
Mais de 100 mil tripulantes continuam isolados em quarentena em centenas de navios de cruzeiro por todo o Mundo, muitos deles há mais de um mês, apesar de os passageiros já terem desembarcados todos, revelou o ‘The Guardian’.

Uma nova esperança
A Dinamarca, que foi um dos primeiros países europeus a levantar as medidas de confinamento, há duas semanas, disse esta quinta-feiraque a propagação do coronavírus não aumentou no país apesar do alívio das medidas de quarentena.

Travão à quarentena
O Supremo Tribunal do Malawi tomou a decisão sem precedentes de bloquear o confinamento ordenado pelo governo até este se comprometer a criar um rendimento mínimo para ajudar as famílias mais desfavorecidas.

Corpos em carrinhas
Dezenas de corpos, muitos dos quais já em decomposição, foram encontrados pela polícia amontoados em carrinhas estacionadas à porta de uma agência funerária de Brooklyn, Nova Iorque, por falta de capacidade no interior.

30 milhões sem emprego
Mais 3,8 milhões de norte-americanos perderam o emprego na última semana, aumentando para 30 milhões o número de pessoas que ficaram sem trabalho devido à pandemia. Economia dos EUA caiu 4,8% até final de março.

Incentivar a bicicleta
O governo francês vai oferecer 50 euros de incentivo a quem aceitar trocar o carro pela bicicleta após o fim do confinamento, para combater a poluição. Verba só pode ser usada para reparações, aulas ou estacionamento.

Vão-se os móveis...
Fazendo jus ao velho ditado que diz ‘vão-se os anéis mas ficam os dedos’, o governo francês decidiu vender em leilão centenas de móveis e tapeçarias antigas para ajudar a financiar o Sistema Nacional de Saúde.

117 milhões em viagem
Várias províncias chinesas levantaram as proibições de viajar a tempo das festividades do 1 de Maio, que na China duram cinco dias. Calcula-se que mais de 117 milhões de chineses planeiam viajar nos próximos dias.   

Abraçar os avós
Cientistas suíços determinaram que já é seguro as crianças abraçarem os avós, depois de chegaram à conclusão de que os mais pequenos não transmitem o vírus. Encontros devem ser breves e as crianças não devem ficar ao cuidado dos idosos.

Sem casos domésticos
A Coreia do Sul, que já foi um dos países mais afetados pela pandemia, não teve esta quinta-feira qualquer caso de transmissão doméstica de Covid-19, o que acontece pela primeira vez desde fevereiro. Registou, porém, quatro casos importados.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)