Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Esterilização de negros praticada nos EUA até 1974 foi "ato de genocídio"

Estudo aponta que programa visou deliberadamente afroamericanos.
Lusa 25 de Julho de 2020 às 07:10
Afroamericanos - Imagem ilustrativa
Afroamericanos - Imagem ilustrativa FOTO: Getty Images
Um estudo da universidade norte-americana de Duke aponta que um programa de esterilização conduzido até 1974 no estado da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, visou deliberadamente afroamericanos, considerando que se tratou de "um ato de genocídio".

De acordo com o estudo, publicado na última edição da revista American Review of Political Economy, entre 1929 e 1974 cerca de 7.600 homens, mulheres e crianças, em alguns casos com apenas 10 anos, foram submetidos a esterilização cirúrgica, parte de um programa criado na Carolina do Norte para impedir a reprodução de pessoas "de mente fraca" e servir o "interesse público".

A maioria das operações foram realizadas à força, pode ler-se no estudo, embora algumas mulheres recorressem ao programa voluntariamente, por não disporem de outros meios de contraceção, declarando-se para isso mães inaptas.

Estados Unidos Duke EUA Carolina do Norte
Ver comentários