Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

EUA dão 15 milhões pela prisão de Nicolas Maduro

Justiça norte-americana acusa o presidente venezuelano de “narcoterrorismo".
Ricardo Ramos 27 de Março de 2020 às 08:58
Nicolas Maduro
Nicolas Maduro FOTO: Reuters

A Justiça norte-americana acusou esta quinta-feira o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, de "narcoterrorismo" e ofereceu uma recompensa de 15 milhões de dólares por informações que conduzam à sua captura e julgamento nos Estados Unidos.

Além de Maduro, as acusações visam outras figuras do regime comunista venezuelano, incluindo o presidente da Assembleia Constituinte, Diosdado Cabello, o ministro da Defesa, Padrino López, e o presidente do Supremo Tribunal, Maikel José Moreno Pérez. "Enquanto o povo da Venezuela sofre, esta quadrilha enche os bolsos", afirmou o procurador-geral dos EUA, William Barr, acusando o presidente venezuelano e os seus aliados de "conspirarem com uma ala dissidente das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) para inundar os Estados Unidos de cocaína", numa "parceria narcoterrorista com mais de duas décadas".

"A magnitude desta operação de narcotráfico só se tornou possível porque Maduro e outros corromperam as instituições venezuelanas e forneceram proteção política e militar ao narcotráfico", relata a acusação esta quinta-feira tornada pública.

Ariana Fajardo Orshan, procuradora-chefe da Florida, diz que no seu estado "todos os dias são visíveis os sinais de lavagem de dinheiro dos dirigentes venezuelanos", que investem o dinheiro proveniente do tráfico em iates e condomínios de luxo. "Esta festa está a chegar ao fim", avisou.

Ver comentários