Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Sondagens à saída das urnas na Bélgica dão subida à extrema-direita e ecologistas

As assembleias de voto encerraram às 14h00 locais e, além das europeias, os belgas votaram ainda para legislativas e regionais.
Lusa 26 de Maio de 2019 às 17:23
Assembleias de voto na Bélgica
Assembleias de voto na Bélgica
Assembleias de voto na Bélgica
Assembleias de voto na Bélgica
Assembleias de voto na Bélgica
Assembleias de voto na Bélgica
Assembleias de voto na Bélgica
Assembleias de voto na Bélgica
Assembleias de voto na Bélgica

As sondagens após a votação deste domingo na Bélgica apontam para uma subida da extrema-direita flamenga (Vlams Belang) na Flandres, e dos ecologistas, tanto flamengos (Groen) como francófonos (Ecolo) e todo o país.

As assembleias de voto encerraram às 14h00 locais (13h00 em Lisboa) e, além das europeias, os belgas votaram ainda para legislativas e regionais.

As projeções da votação apontam, na Flandres, para a manutenção dos nacionalistas flamengos do N-VA como o partido mais votado, embora registe uma perda de votos em relação às anteriores eleições, aparentemente a favor da extrema-direita (Vlaams Belang).

Os verdes do Groen registam um aumento assinalável.

Na região de Bruxelas, o Partido Socialista francófono (PS) deverá ser o mais votado, segundo uma sondagem realizada pela Universidade Livre de Bruxelas para a emissora de rádio e televisão RTL, alcançando cerca de 20,5%, à frente dos liberais francófonos (MR), com 18%; seguem-se Ecolo (18%), Défi (13%) e os democrata-cristãos francófonos (CDH, 10,5%).

Na Valónia, os socialistas deverão obter 27%, seguidos pelos liberais do MR (18%), Ecolo (13,5%), CDH (12,5%), pela formação de esquerda radical PTB (11%) e Défi (5%).

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)