Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Fuzileiros navais dos EUA comem lagartixas vivas e bebem sangue de cobra. PETA alerta para risco de pandemia

Defensores dos direitos dos animais alertam que comportamento pode levar à próxima pandemia.
Correio da Manhã 22 de Fevereiro de 2021 às 18:41
Exercícios Cobra Gold
Exercícios Cobra Gold
Exercícios Cobra Gold
Exercícios Cobra Gold
Exercícios Cobra Gold
Exercícios Cobra Gold
Exercícios Cobra Gold
Exercícios Cobra Gold
Exercícios Cobra Gold
Exercícios Cobra Gold
Exercícios Cobra Gold
Exercícios Cobra Gold
Exercícios Cobra Gold
Exercícios Cobra Gold
Exercícios Cobra Gold
Alguns exercícios militares em que os fuzileiros navais dos Estados Unidos comem lagartixas vivas e bebem sangue de cobra são um risco na disseminação de doenças tais como a Covid-19, alertam os defensores dos animais. 

De acordo com ojornal britânico Mirror, que relata a prática como sendo parte de exercícios de sobrevivência, as tropas militares internacionais viajam anualmente para a Tailândia para participar no exercício Cobra Gold em que matam galinhas com as mãos, tiram a pele e comem lagartixas vivas e consomem escorpiões e tarântulas vivos

Neste exercício, os militares também decapitam cobras e bebem-lhes o sangue, de acordo com o grupo de direitos dos animais PETA.

Este treino servirá para os militares sobreviverem às condições extremas da selva. É-lhes ensinado a beber sangue de cobra que lhes permitirá sobreviver caso não tenham água potável ou comida. 

Só em 2020 cerca de 4.500 militares dos EUA juntaram-se a forças de Singapura, China, Japão, Índia, Coréia do Sul, Indonésia e Malásia para concretizar este treino. 

A PETA pede agora a proibição destes exercícios sob risco de desencadear uma próxima pandemia.
Estados Unidos EUA Covid-19 PETA questões sociais
Ver comentários