Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Governo desdramatiza ausência de data para apresentação do plano económico da Comissão Europeia

Secretária de Estado dos Assuntos Europeus defendeu que se trata de um plano "muito complexo".
Lusa 7 de Maio de 2020 às 00:18
Comissão Europeia
Comissão Europeia FOTO: iStockPhoto
A secretária de Estado dos Assuntos Europeus desdramatizou esta quarta-feira o facto de Bruxelas ainda não ter data definida para apresentar a sua proposta de plano de relançamento económico, defendendo que se trata de um programa muito complexo.

Esta posição foi transmitida por Ana Paula Zacarias em conferência de imprensa, em São Bento, no final da cimeira de líderes da União Europeia com os seis países dos Balcãs Ocidentais (Albânia, Bósnia-Herzegovina, Macedónia do Norte, Montenegro, Sérvia e Kosovo), que decorreu por videoconferência.

O comissário europeu da Economia, Paolo Gentiloni, disse esta quarta-feira que a Comissão Europeia está "a trabalhar arduamente" na proposta do fundo de recuperação e conta apresentá-la "seguramente nas próximas semanas", embora sem se comprometer com uma data específica.

Por sua vez, na sequência da última cimeira de chefes de Estado e de Governo da União Europeia, o primeiro-ministro, António Costa, afirmou então que esperava que a proposta de plano de recuperação económica, que poderá atingir 1,5 biliões de euros, fosse apresentada por Bruxelas até ao dia de hoje, o que não aconteceu.

Para já, no entanto, o Governo português não parece preocupado com a Comissão Europeia.

"É verdade que tinha sido anunciado pela Comissão Europeia que o plano de recuperação seria apresentado esta quarta-feira. Neste momento, a própria Comissão, embora sem uma data concreta, indicou que estaria a trabalhar para o apresentar o quanto antes", referiu Ana Paula Zacarias.

Neste ponto, a secretária de Estado dos Assuntos Europeus salientou que se está a falar "de três aspetos em paralelo: A reelaboração do programa de trabalho da Comissão, o fundo de recuperação e o Quadro Financeiro Plurianual (2021/2027".

"As três coisas deverão ser apresentadas em paralelo, são três áreas de grande complexidade e a relação entre os três é ainda mais complexa", justificou.

Ana Paula Zacarias apontou depois "as dificuldades com que vários Estados-membros encaram" esse plano de recuperação para fazer face à crise económica e social gerada pela pandemia de covid-19.

"É natural que a Comissão Europeia pretenda ter grande segurança quando o apresentar, procedendo a consultas antes de apresentá-lo. Estamos confiantes que, logo que possível, a Comissão Europeia apresentará os três documentos, que são importantíssimos. Conviria que começassem a ser discutidos o quanto antes", acrescentou.

Ver comentários