Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Governo espanhol aprova licença menstrual e nova lei do aborto

Baixa está assegurada a mulheres que têm dores menstruais incapacitantes. Mulheres podem recorrer ao aborto a partir dos 16 anos sem autorização dos pais.
Correio da Manhã e Lusa 17 de Maio de 2022 às 16:19
 Licença permite às mulheres ficarem em casa "naquela altura do mês"
Licença permite às mulheres ficarem em casa 'naquela altura do mês' FOTO: Getty Images
O Conselho de Ministros em Espanha aprovou, pela primeira vez na legislação, a baixa para mulheres que têm dores menstruais incapacitantes. Foi também aprovada a nova lei do aborto, que permite que as mulheres recorram à interrupção voluntária da gravidez partir dos 16 anos sem autorização dos pais.

A baixa está assegurada a mulheres que têm menstruação incapacitantes, ou seja, que não lhes permitam levar uma vida normal.

"Vamos ser o primeiro país da Europa a introduzir uma licença temporária por doença totalmente financiada pelo Estado para períodos dolorosos e incapacitantes", disse a ministra da Igualdade, Irene Montero, em conferência de imprensa depois da apresentação do novo projeto de lei.

De acordo com o El País,
 as licenças serão pagas por completo pela Segurança Social e não haverá limite de dias para a baixa.

"Não há dias, são os que cada mulher precisa", confirmam fontes do Ministério da Igualdade de Espanha.

De acordo com a responsável governamental, que pertence ao partido de extrema-esquerda Podemos, parceiro minoritário no Governo "feminista" liderado pelo Partido Socialista espanhol (PSOE), "já não é tabu ir trabalhar com dor, ter de tomar comprimidos antes de ir trabalhar ou ter de esconder" as dores menstruais.

Conselho de Ministros em Espanha saúde menstruação Pedro Sanchez aborto
Ver comentários
}