Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Holanda expõe espiões russos que tinham como alvo organização que investiga armas químicas

Ação coordenada de vários países expõe ações de espionagem russa na Europa e nos EUA.
4 de Outubro de 2018 às 16:15
Autoridades holandesas revelam identidade de espiões russos
Autoridades holandesas revelam identidade de espiões russos
Autoridades holandesas revelam identidade de espiões russos
Autoridades holandesas revelam identidade de espiões russos
Autoridades holandesas revelam identidade de espiões russos
Autoridades holandesas revelam identidade de espiões russos
Autoridades holandesas revelam identidade de espiões russos
Autoridades holandesas revelam identidade de espiões russos
Autoridades holandesas revelam identidade de espiões russos
As autoridades holandeses revelaram esta quinta-feira ter expulso quatro agentes secretos russos em Abril, travando um ciberataque. A saída forçada deu-se devido a um plano dos russos para atingir a Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), com sede em Haia e que está a investigar o envenenamento dos Skripal em Salisbury. 

Os quatro cidadãos russos expulsos eram membros do GRU, os serviços secretos militares, confirmou a ministra da Defesa holandesa, Ank Bijleveld. 

Numa conferência de imprensa inédita, a polícia holandesa explicou os detalhes da operação que os russos estavam a desenvolver na Holanda. Os quatro agentes russos chegaram ao país a 10 de abril e alugaram um carro, que estacionaram num hotel próximo da sede da OPAQ, em Haia. Equipados com vários equipamentos informáticos e smartphones, tentaram entrar nos sistemas informáticos da organização.

Mas foram detetados e a operação ruiu. Grande parte do material informático foi recuperado quando os russos saíram apressadamente do país, ao aperceberem-se de que a operação tinha sido desmascarada. 

Além do caso do envenenamento dos Skripal, a OPAQ tem investigado os ataques químicos na Síria, bem como a queda do voo MH17 por cima da Ucrânia, que se suspeita ter sido causada por um míssil russo entregue às forças rebeldes que o Kremlin apoia contra Kiev.. 

A Rússia sempre negou qualquer envolmento com ataques com armas químicas. Porém, os GRU têm sido apontados como culpados do ataque contra Sergei e Yulia Skripal em Março.

Rússia acusada de ataques em várias partes do mundo

Esta quinta-feira, também as autoridades americanas e britânicas vieram acusar a Rússia de estar na origem de vários ataques informáticos. Os ingleses apontam a Rússia como autora do ataque ao comité do Partido Democrático, que levou à divulgação e emails comprometedores da campanha de Hillary Clinton.

Num outro caso, o Departamento de Justiça dos EUA anunciou a acusação contra sete agentes de inteligência russos, suspeitos de crimes que vão desde a pirataria informática, fraude, roubo de identidade e lavagem de dinheiro, a propósito do escândalo de doping de atletas russos, sob a égide do governo de Putin.



Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)