Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Homicida canibal mata e come a própria avó

Idosa, de 90 anos, foi morta com uma faca e um picador de gelo.
Correio da Manhã 8 de Junho de 2020 às 12:09
Homem matou a avó e comeu partes do corpo em seguida
Homem matou a avó e comeu partes do corpo em seguida
Homem matou a avó e comeu partes do corpo em seguida
Homem matou a avó e comeu partes do corpo em seguida
Homem matou a avó e comeu partes do corpo em seguida
Homem matou a avó e comeu partes do corpo em seguida

Um homem norte-americano, de 37 anos, foi detido depois de ter matado a própria avó, de 90 anos. O crime, ocorrido em Richmond, no estado norte-americano da Califórnia, está a chocar o mundo, uma vez que o homicida, depois de matar a idosa, comeu partes do corpo desta.

Dwayne Wallick, de 37 anos, usou uma faca e um picador de gelo para atacar repetidamente a avó, Ruby Wallick. Em seguida, e com as próprias mãos, terá arrancado partes do cadáver que consumiu de imediato.

Foi uma das filhas de Ruby, tia do homicida, que deu o alerta às autoridades locais, depois de ter sido surpreendida com a cena de horror ao chegar a casa para ir buscar a mãe. Segundo o Los Angeles Times, a mulher contou á polícia que chegou a casa e encontrou a mãe "a sangrar na sala da casa e o sobrinho sobre ela, coberto de sangue". O homem estaria ainda a consumir partes do corpo da avó quando as autoridades chegaram.

"Já vi de tudo, mas em 26 anos de serviço nunca pensei ver ver uma cena do crime assim. Mesmo depois de ordenarmos que parasse ele continuou o que estava a fazer, ignorando as nossas ordens", relatou o porta-voz da polícia local, o sargento Aaron Pomeroy.

Os agentes recorreram a uma arma taser para imobilizar o suspeito que, "após a primeira descarga se mostrou extremamente agressivo", obrigando quatro agentes a imobilizá-lo com recurso à força.

Segundo as autoridades desconhece-se o motivo do crime. Dwayne Wallick não tinha historial de doença mental nem cadastro prévio. Os investigadores acreditam que o homem estivesse sob efeito de "uma qualquer substância sintética altamente estimulante", pelo que foram feitas análises.

O homicida cuidava da avó há cerca de dois anos. Encontra-se no hospital, ainda a ser sujeito a testes, sendo que depois ficará em prisão preventiva até início do julgamento, sob uma fiança superior a um milhão de euros.

Ver comentários