Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Independentistas condicionam apoio à investidura de Pedro Sánchez

Separatistas bascos e catalães exigem discutir “autodeterminação e amnistia”.
Ricardo Ramos 14 de Novembro de 2019 às 09:29
Gabriel Rufián, da ERC
Gabriel Rufián, da ERC FOTO: EPA
Os partidos independentistas catalães e bascos exigiram esta quarta-feira a "discussão do direito à autodeterminação e a libertação de presos políticos" como condição essencial para apoiarem a investidura de Pedro Sánchez como primeiro-ministro.

Gabriel Rufián, líder da bancada da Esquerda Republicana da Catalunha (ERC) no Parlamento espanhol, avisou logo na terça-feira que o apoio a Sánchez tem um preço: o reinício do diálogo sem condições entre o Governo de Madrid e os independentistas catalães. Esta quarta-feira, Pére Aragonés, coordenador nacional da ERC e conselheiro de economia do Executivo catalão, foi mais concreto nas suas exigências.

"Queremos uma mesa de diálogo político entre iguais, entre as instituições catalãs e do Estado, onde se possa falar de tudo, incluindo a autodeterminação", afirmou. Também o líder do partido basco EH Bildu, Arnaldo Otegi, deixou claro que só admite apoiar a investidura de Sánchez se este aceitar "falar do direito à autodeterminação e da libertação dos presos políticos".

Apesar do acordo de coligação com o Podemos, o PM espanhol precisa do apoio dos partidos independentistas para ser investido. Entre si, ERC e EH Bildu têm 18 deputados no Parlamento, onde esta quarta-feira o cenário ficou ainda mais complicado para Sánchez depois de o PP ter ganhado um deputado ao PNV após recontagem, o que significa que o PM precisará agora de pelo menos 17 abstenções para ser eleito.
ERC Pedro Sánchez Parlamento EH Bildu PM política partidos e movimentos governo (sistema) executivo (governo)
Ver comentários