Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada em Brasília

Presidente do Brasil torna-se piada nas redes sociais depois do momento.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 14 de Julho de 2020 às 19:27
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro 'atacado' por ema no Palácio da Alvorada

Os internautas não perdoaram uma peripécia protagonizada pelo presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, e o inusitado incidente transformou-se em motivo de piadas. A peripécia, na verdade, poderia ter tido consequências graves para o chefe de Estado brasileiro, que foi, imagine-se, atacado por uma Ema, uma espécie de prima sul-americana da avestruz.

O bichano em questão é um dos vários da sua espécie criados nos jardins do Palácio da Alvorada, residência oficial de Bolsonaro em Brasília, e estava quieto no seu canto quando o governante, isolado há uma semana por ter contraído Covid-19, ao passear no relvado e encontrar um bando desses animais resolveu fazer amizade. Bolsonaro chegou perto de uma das emas, a maior ave do Brasil, e tentou alimentá-la, estendendo o braço até ao bico do animal.

A ema, vá lá saber-se por quê, não achou graça à gentileza presidencial e avançou, dando uma bicada em Bolsonaro. Não foi nada de grave, não provocou qualquer ferimento de monta ao presidente, mas deve ter sido bem doloroso, pois Bolsonaro recolheu apressadamente o braço e sacudiu-o desesperadamente por alguns segundos como normalmente faz quem sentiu uma inesperada dor no local.

Rapidamente, o incidente, flagrado por um repórter que estava junto à entrada do palácio, repercutiu muito nas redes sociais. A Ema foi rapidamente baptizada pelos internautas com o nome de "Gleisi", numa alusão a Gleisi Hoffmann, presidente do Partido dos Trabalhadores, de Lula da Silva, arqui-inimigo de Bolsonaro.

Internautas defenderam que a Ema seja colocada em quarentena, pois, brincaram, pode ter contraído o Coronavírus que o presidente anunciou semana passada ter. Outros, também em tom irónico, afirmaram que o ministro da Justiça, André Mendonça, determinou à Polícia Federal uma rigorosa investigação sobre o ataque da Ema, por haver, acrescentam os brincalhões, fortes suspeitas de que o animal tenha sido treinado pelo ex-presidente Lula para atacar Bolsonaro.

Políticos também entraram na brincadeira e Guilherme Boulos, por exemplo, que foi candidato nas presidenciais de 2018 e é pré-candidato a autarca de São Paulo nas eleições municipais deste ano, escreveu "Nem a Ema perdoou". Já a deputada Margarida Salomão, do Partido dos Trabalhadores, escreveu "Essa Ema representa-nos a todos"... 

Jair Bolsonaro Palácio da Alvorada Brasília bolsonaro atacado bolsonaro picado
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)