Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Joe Biden: "Este não é o terceiro mandato de Obama"

Presidente eleito nos EUA diz em entrevista que o Mundo “está muito diferente” de há quatro anos.
Ricardo Ramos 26 de Novembro de 2020 às 09:34
Joe Biden
Donald Trump
Joe Biden
Donald Trump
Joe Biden
Donald Trump
O democrata Joe Biden garantiu, na sua primeira entrevista como presidente eleito dos EUA, que a sua Administração não será um prolongamento dos dois mandatos de Barack Obama e prometeu que a sua equipa irá tentar refletir “todo o espetro da América”, incluindo os republicanos que apoiam Trump.

“Este não será um terceiro mandato da Administração Obama. Este é um Mundo completamente diferente daquele que existia na Administração Obama-Biden. Trump mudou completamente o cenário”, afirmou Biden, negando que a escolha de antigos responsáveis da era Obama para cargos importantes na sua equipa de política externa e segurança nacional vise dar continuidade ao trabalho do antigo presidente.

“Queremos ter uma equipa o mais representativa possível de todo o espetro do povo americano e do Partido Democrata”, frisou Biden, que admitiu mesmo convidar um “republicano apoiante de Trump” para fazer parte da sua Administração. “Queremos unir o país”, sublinhou, antes de garantir que não vai usar o poder do Departamento de Justiça para investigar eventuais crimes cometidos por Trump ou pelos seus familiares e aliados, apesar da pressão de alguns democratas nesse sentido. “Sei que existem investigações ao nível estadual. Não há nada que eu possa fazer sobre isso”, adiantou.

Trump planeia perdoar aliado Michael Flynn
Antes de deixar a Casa Branca, Donald Trump planeia indultar o seu ex-conselheiro de Segurança Nacional Michael Flynn, que admitiu ter mentido ao FBI no âmbito da investigação à ingerência russa nas Presidenciais de 2016. A notícia é avançada pelo site ‘Axios’, que cita fontes próximas do presidente cessante e adianta que Flynn poderá não ser o único envolvido na trama russa a receber um perdão presidencial. Em julho, Trump já tinha comutado a pena de Roger Stone, outra figura central do caso.
Ver comentários