Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Jovem de 20 anos mata a mãe e dá uma festa com o corpo escondido no quarto no Brasil

Filha mais velha voltou à residência acompanhada do marido e encontrou o cadáver.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 10 de Janeiro de 2021 às 17:30
Albertina Schmitz foi morta pelo filho
Albertina Schmitz foi morta pelo filho
Albertina Schmitz foi morta pelo filho
Albertina Schmitz foi morta pelo filho
Albertina Schmitz foi morta pelo filho
Albertina Schmitz foi morta pelo filho

Um rapaz de 20 anos foi preso em Joinville, importante cidade no estado brasileiro de Santa Catarina, sul do país, acusado de ter assassinado a própria mãe e depois ter dado uma festa em casa, escondendo o corpo dela no quarto. O crime aconteceu na madrugada de sábado da semana passada, dia 2 de janeiro, mas só agora foi descoberto, após uma filha ter localizado o corpo.

Roberto Padell Júnior, o delegado (inspetor) da polícia estadual que assumiu a investigação contou que o rapaz, identificado como Leonardo Schmitz Tasca, confessou o crime com tranquilidade, não mostrando arrependimento. Leonardo contou-lhe que as discussões com a mãe, Albertina Schmitz Tasca, de 61 anos, eram frequentes e, que naquela madrugada de sábado, a meio de mais um desentendimento, não conseguiu conter a raiva, fez um golpe de "mata leão" (estrangulamento por trás apertando o pescoço da vítima com o braço) e que, ao perceber que a mãe estava morta, a cobriu com um lençol e deixou o corpo escondido no quarto dela, que fechou à chave.

Ainda de acordo com o que a polícia apurou, horas depois de ter assassinado a mãe, Leonardo chamou vários amigos e deu uma festa na residência, regada com muitas bebidas alcoólicas, ainda com o corpo da sua progenitora no quarto. Câmaras de imóveis vizinhos, segundo o delegado, gravaram a intensa movimentação de jovens que Leonardo convidou.

Um dia depois, domingo, a irmã mais velha de Leonardo, que é casada e vive noutro local, foi até à residência, após estranhar o silêncio da mãe de ambos, frequentadora assídua das redes sociais e que costumava ligar-lhe todos os dias. Esta contou à polícia que o irmão lhe disse que a mãe tinha ido passar uns dias fora, motivo pelo qual o carro dela não estava na garagem, e que tinha fechado o quarto à chave, o que era normal.

Só com o passar dos dias sem que Albertina ligasse ou publicasse alguma coisa na web é que a família suspeitou que algo de muito grave poderia ter-lhe acontecido. A filha mais velha voltou à residência acompanhada do marido, chamou um chaveiro para abrir a porta do quarto da mãe e encontrou o corpo.

Horas mais tarde, Leonardo foi preso num bairro próximo, quando a polícia localizou o carro da mãe dele depois da denúncia da irmã. Estava a passear no veículo com dois menores, que conseguiram fugir, não ofereceu resistência à abordagem policial e, sempre de acordo com a versão dos agentes, ao ser-lhe perguntado pela mãe contou sem hesitar o que tinha feito.

Ver comentários