Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Juiz da Lava Jato autoriza investigações contra 9 ministros

Vários ministros do Governo de Temer entre os citados nas investigações.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 11 de Abril de 2017 às 22:28
O juiz brasileiro Edson Fachin
O juiz brasileiro Edson Fachin
O juiz brasileiro Edson Fachin
O juiz brasileiro Edson Fachin
O juiz brasileiro Edson Fachin
O juiz brasileiro Edson Fachin
O juiz brasileiro Edson Fachin
O juiz brasileiro Edson Fachin
O juiz brasileiro Edson Fachin

O juíz relator da operação anti-corrupção Lava Jato no Supremo Tribunal Federal brasileiro, STF, Edson Fachim, autorizou a instauração de investigações contra nove ministros do presidente Michel Temer e 71 parlamentares, entre eles os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício de Oliveira. A informação, não confirmada oficialmente pelo STF, foi avançada na noite desta terça-feira pelo jornal "O Estado de S. Paulo".

De acordo com o sítio daquele jornal, Fachim aceitou pedidos do Procurador-Geral da República, PGR, Rodrigo Janot, para investigar, além dos nove ministros de Temer, 29 dos 81 senadores, 42 dos 513 deputados, três dos 27 governadores de estado, um juíz do Tribunal de Contas e 24 outros políticos. Todos são acusados por Janot de terem sido beneficiados com dinheiro desviado da Petrobrás através de contratos sobrefacturados e outros esquemas de corrupção.

Os pedidos de investigação feitos pelo PGR foram entregues a Fachim em 14 de Março e continham 83 pedidos de abertura de inquéritos contra políticos no Supremo Tribunal e o envio de outros 211 pedidos semelhantes a tribunais de instâncias inferiores, pois o STF só investiga e julga pessoas com privilégio de foro, como políticos em exercício de mandato. Ainda de acordo com o jornal paulista, que diz ter tido acesso aos documentos, Edson Fachim assinou electronicamente as autorizações no passado dia 4 de Abril, mas até esta terça não tinha feito o anúncio oficial das decisões.

Entre os ministros que serão investigados estão os dois mais próximos a Temer, Eliseu Padilha, ministro-chefe da Casa Civil, e Moreira Franco, ministro da Secretaria-Geral da Presidência. Entre os senadores, além de Eunício de Oliveira destacam-se Romero Jucá, ex-ministro do Planeamento de Temer e actual líder do governo no Senado, Renan Calheiros, ex-presidente do Congresso, e Edson Lobão, ex-ministro de Lula da Silva e de Dilma Rousseff e actualmente presidente da Comissão de Constituição e Justiça, a mais importante do Congresso. 
Lava Jato Edson Fachin Renan Filho Eliseu Padilha Michel Temer Supremo Tribunal Federal Aloysio Nunes
Ver comentários