Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Juíza morta com 16 tiros no Rio de Janeiro

A juíza brasileira Patricia Acioli, da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, foi assassinada na madrugada desta sexta-feira com vários tiros quando voltava de sua casa em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, noticiou a imprensa brasileira.
12 de Agosto de 2011 às 17:34

De acordo com testemunhas citadas pela imprensa brasileira, Patricia Acioli, 44 anos e mãe de três filhos, foi morta com vários tiros quando se aproximava da entrada do condomínio onde residia, no Timbau, bairro do distrito de Piratininga, em Niterói, no Rio de Janeiro.  

No total, foram disparados 16 tiros por pessoas ainda não identificadas, que seguiam em dois carros e duas motas.

A magistrada da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo era conhecida por uma actuação dura contra os grupos criminosos que operavam naquela cidade da região metropolitana do Rio de Janeiro. Na sua lista de condenações figuram elementos de milícias e máfias de combustíveis e transportes alternativos, refere a imprensa brasileira.  

De acordo com fontes da família de Patricia Acioli, a magistrada foi alvo de várias ameaças de morte.  

O carro da vítima está a ser analisado na Divisão de Homicídios na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. A polícia carioca analisa igualmente as imagens das câmaras de segurança do condomínio onde Patricia Acioli habitava.  

O funeral da magistrada realiza-se esta sexta-feira no Cemitério de Marui Grande, no bairro do Barreto, em Niterói, na região metropolitana do Rio, adianta o portal de notícias G1.  

juiza rio de janeiro máfia tiros niterói patricia acioli
Ver comentários