Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Líder de culto tortura bebé de um ano com água gelada

Homem também está acusado abusar sexualmente de uma criança de 11 anos.
Correio da Manhã 1 de Junho de 2020 às 17:59
Robert Nichols está acusado de agredir e torturar um bebé e de abusar sexualmente de uma criança de 11 anos
Robert Nichols está acusado de agredir e torturar um bebé e de abusar sexualmente de uma criança de 11 anos FOTO: Direitos Reservados

O líder de um culto religioso fixado em Manchester, no estado norte-americano do Conneticut, começa a ser julgado esta segunda-feira, estando acusado de agredir e torturar um bebé de apenas um ano.

Segundo a acusação, Robert Nichols, de 41 anos, aproveitava-se do seu estatuto de líder da comunidade Word of Faith Ministeries para levar a cabo agressões e abusos, sem que os pais das crianças desconfiassem. Para além deste caso, o homem está ainda acusado de ter abusado sexualmente de um rapaz de 11 anos em 2010.

Segundo a mãe do menor abusado, esta dirigiu-se ao pastor para que a ajudasse a resolver os problemas de comportamento do filho.

Nichols sugeriu que a mãe lhe entregasse a criança, dizendo que levaria o menor para sua casa para o educar, numa "formação intensiva" para corrigir a hiperatividade do menor.

O rapaz queixou-se depois à mãe que o pastor o tinha agredido violentamente com um cabide, um cinto de cabedal e com murros e palmadas. Depois obrigava a criança a deitar-se na sua cama e, alegadamente, acariciava os genitais do menor.

Quanto ao caso mais recente, os pais do bebé que terá sido torturado pelo predador foram alertados por um médico. Exames mostraram que a criança apresentava um hematoma subdural, que o colocava em risco de vida, assim como outras marcas de violência física. Os pais acabaram por confessar que ocasionalmente deixavam a criança a cargo do líder do culto religioso a que pertenciam e que este era a única pessoa que podia ter contacto com o bebé, sem ser a família.

Uma testemunha acabou por denunciar o caso às autoridades e contou um verdadeiro pesadelo, que os exames médicos vieram confirmar: a criança terá sido atirada com violência ao chão várias vezes com violência.

Nichols dizia que o bebé era "rebelde e mal-educado" enquanto torturava a criança, mergulhando-a num lavatório cheio de gelo.

O casos chegaram agora a tribunal e Nichols, que afirma ser inocente, deverá conhecer a sentença ainda durante o verão.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)