Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Lusodescendente detido por violar quarentena ao participar em festa na Venezuela

Pelo menos dez pessoas foram detidas pelas autoridades por participarem em convívio no pátio de uma casa.
Lusa 3 de Maio de 2020 às 07:56
Coronavírus
Coronavírus FOTO: Getty Images
Pelo menos dez pessoas, entre elas um lusodescendente, foram detidas pelas autoridades venezuelanas por participar numa festa no pátio de uma casa, violando a quarentena preventiva da covid-19 na Venezuela, noticia hoje a imprensa local.

As detenções ocorreram na urbanização La Mendera II de Cabudare, no Estado venezuelano de Lara (360 quilómetros sudoeste de Caracas) e entre os detidos está um lusodescendente de 19 anos.

Os detidos, com idades entre os 18 e os 23 anos, são ainda acusados de opor resistência às autoridades.

Segundo a imprensa local as detenções ocorreram à 01:00 local de sexta-feira (06:00 em Lisboa), depois de a polícia ter sido informada, anonimamente, de que decorria a festa.

O Diário de Lara explica que ao ver a polícia, "os jovens correram para dentro de casa, omitiram a ordem para parar, atiraram as bebidas que tinham contra os oficiais e inclusive houve tentativa de agredir fisicamente" os polícias.

A polícia confiscou ainda um carro que estava estacionado no exterior da residência e cinco caixas de cerveja.

Na Venezuela, na sequência da quarentena preventiva da covid-19, estão proibidas as aglomerações de pessoas. No estado de Lara está ainda proibido sair de casa a partir das 14h00 locais (19h00 em Lisboa).

A Venezuela tem 345 casos confirmados e 10 mortes associadas ao novo coronavírus. Pelo menos 148 pessoas recuperaram da doença.

O país está desde 13 de março em estado de alerta, o que permite ao executivo decretar "decisões drásticas" para combater a pandemia. O estado de alerta foi decretado por 30 dias e prolongado por igual período.

Os voos nacionais e internacionais estão restringidos.

Desde 16 de março que os venezuelanos estão em quarentena e impedidos de circular livremente entre os vários estados do país.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 241 mil mortos e infetou cerca de 3,4 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de um milhão de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, alguns países começaram a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos a aliviar diversas medidas.

Venezuela Lara Lisboa questões sociais assistência prolongada
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)