Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos

Aubrey tem dois filhos e decidiu também ser acompanhante de luxo.
14 de Novembro de 2017 às 19:29
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Mãe mórmon torna-se estrela porno aos 36 anos
Uma mãe solteira criada sob as crenças mórmon decidiu, aos 36 anos, tornar-se uma estrela da industria pornográfica. Agora, aos 42 anos, a mulher já arrecadou uma fortuna e atualmente ganha cerca de 500 mil libras - cerca de 558 mil euros - por ano.

Aubrey, nascida na Nova Zelândia, tem dois filhos e é mãe solteira. Além da sua vida como estrela porno, a mulher é também acompanhante de luxo, tendo já viajado pelo mundo.

"Estava a trabalhar como fotógrafa e conhecia bem o mundo do marketing. Usei esse conhecimento para me promover", revelou ao site de notícias australiano news.com.au. Foi ao conhecer um grupo de acompanhantes de luxo - durante um destes trabalhos fotográficos - que entrou na indústria.

A mulher revela que os seus clientes mais fiéis são homens casados que pretendem encontrar-se com ela durante as horas de expediente. Aubrey garante que não se interessa como é a pessoa fisicamente, uma vez que "não faz julgamentos".

"Fiz muito dinheiro rapidamente como acompanhante. Disse ao meu filho, na altura com 10 anos que estava a ter encontros com homens por dinheiro e ele entendeu. Com o passar dos anos pediu para ver fotos dos homens e começou a fazer trabalho de 'detetive'", revelou.

Já a filha, Bailey, não encarou com bons olhos a nova profissão da mãe: "Ela passou uma fase em que estava muito zangada comigo. Mas todos os jovens passam por essa fase", justifica.
Nova Zelândia Aubrey com.au Bailey questões sociais porno acompanhante
Ver comentários