Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Mãe viu namorado matar o filho de dois anos e não fez nada. Foi condenada a 15 anos de prisão

Criança foi transportada para o hospital apenas duas semanas depois das agressões.
Correio da Manhã 27 de Outubro de 2020 às 13:38
Mãe viu namorado matar o filho de dois anos e não fez nada. Foi condenada a 15 anos de prisão
Mãe viu namorado matar o filho de dois anos e não fez nada. Foi condenada a 15 anos de prisão
Mãe viu namorado matar o filho de dois anos e não fez nada. Foi condenada a 15 anos de prisão
Mãe viu namorado matar o filho de dois anos e não fez nada. Foi condenada a 15 anos de prisão
Mãe viu namorado matar o filho de dois anos e não fez nada. Foi condenada a 15 anos de prisão
Mãe viu namorado matar o filho de dois anos e não fez nada. Foi condenada a 15 anos de prisão
Mãe viu namorado matar o filho de dois anos e não fez nada. Foi condenada a 15 anos de prisão
Mãe viu namorado matar o filho de dois anos e não fez nada. Foi condenada a 15 anos de prisão
Mãe viu namorado matar o filho de dois anos e não fez nada. Foi condenada a 15 anos de prisão

Candice Jones, uma mulher de 32 anos, vai cumprir 15 anos de cadeia por ter assistido à morte do filho de dois anos às mãos do namorado, sem ter feito nada, em West Virginia, nos EUA. Já John Powers, de 47 anos, foi condenado a prisão perpétua pelo homicídio da criança.

O homem atirou a criança contra uma banheira e queimou-lhe o braço (provocando-lhe uma queimadura de terceiro grau). O menino sofreu diversas fraturas, uma hemorragia na retina do olho, coagulações sanguíneas e uma hemorragia cerebral. No entanto, foi transportada para o hospital apenas duas semanas depois.

"Espero que apanhes a pena máxima e que um dia percebas que a morte do pequeno Joe poderia ter sido evitada se tivesses parado de te preocupar em fazer sexo ou ficar com todos os homens que conheces online", atirou Angela Hart, a madrasta da criança, à mãe da criança em tribunal. O pai da vítima chorou na audição.

O jornal britânico The Telegraph relata que a madrasta de Joe referiu ainda que John Powers já tinha sido indiciado por agredir crianças em 1995. "Mereces morrer na prisão. Gostava que apanhasses pena de morte", disse-lhe.

O casal foi detido em agosto de 2018 e declarou-se agora culpado das acusações da morte do menino de dois anos.

Candice Jones West Virginia Estados Unidos da América John Powers Joe Angela Hart
Ver comentários