Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Marcelo envia condolências ao homólogo italiano por vítimas de descarrilamento de comboio

Três pessoas morreram e 12 ficaram gravemente feridas no acidente.
Lusa 25 de Janeiro de 2018 às 20:46
Descarrilamento de comboio faz três mortos em Milão
Descarrilamento de comboio faz três mortos em Milão
Descarrilamento de comboio faz três mortos em Milão
Descarrilamento de comboio provoca três mortos em Milão
Descarrilamento de comboio provoca três mortos em Milão
Descarrilamento de comboio faz três mortos em Milão
Descarrilamento de comboio faz três mortos em Milão
Descarrilamento de comboio faz três mortos em Milão
Descarrilamento de comboio provoca três mortos em Milão
Descarrilamento de comboio provoca três mortos em Milão
Descarrilamento de comboio faz três mortos em Milão
Descarrilamento de comboio faz três mortos em Milão
Descarrilamento de comboio faz três mortos em Milão
Descarrilamento de comboio provoca três mortos em Milão
Descarrilamento de comboio provoca três mortos em Milão
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, enviou esta quinta-feira uma mensagem de condolências ao seu homólogo italiano pelas vítimas do descarrilamento de um comboio em Milão, que matou pelo menos três pessoas e fez dezenas de feridos.

"Foi com grande consternação que tomei conhecimento do descarrilamento de um comboio na cidade de Milão, que causou um número elevado de vítimas mortais e de feridos", pode ler-se numa nota publicada na página da Presidência da República.

A mensagem enviada ao Presidente da República de Itália, Sérgio Mattarella, refere, ainda, que "neste momento difícil" o pensamento "está com as vítimas, as suas famílias e todos os que foram afetados por este fatídico acontecimento".

"Transmito assim através de Vossa Excelência, em nome do Povo português e no meu próprio, as mais sentidas condolências aos familiares das vítimas, bem como votos de rápidas melhoras a todos os feridos", afirma.

O descarrilamento ocorreu cerca das 07h00 (06h00 de Lisboa) nos arredores de Milão e provocou, além de três mortos e 12 feridos graves, cerca de cem feridos ligeiros, segundo Cristina Corbetta, porta-voz dos serviços de emergência.

De acordo com depoimentos recolhidos pelos meios de comunicação italianos, o comboio "começou a tremer fortemente, como se passasse por cima de pedras, depois houve uma travagem forte e o comboio descarrilou".

O Ministério Público de Milão abriu um inquérito e, segundo relatos os média, os investigadores já estão a interrogar o maquinista do comboio.

O acidente ocorreu perto de Segrate, nos subúrbios a nordeste de Milão, uma das últimas paragens antes da chegada a Milão. Este comboio regional saiu de Cremona às 05:32 da manhã (04:32 em Lisboa) e a chegada estava prevista para as 07:24 (06:24 em Lisboa).

A maioria dos passageiros seguia para o trabalho, havendo também estudantes a bordo do comboio.

O comboio, composto por seis ou oito vagões, de acordo com a comunicação social, pertence à empresa regional Lombardia Trenord, de propriedade do grupo público Trenitalia e Ferrovie Nord Milano FNM, uma empresa ferroviária que opera principalmente no norte da península.
Ver comentários