Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Mulher e duas crianças morrem em naufrágio no Canal da Mancha

Uma mulher e duas crianças, de cinco e oito anos, estão entre as vítimas mortais, segundo as autoridades francesas.
Lusa 27 de Outubro de 2020 às 18:48

O naufrágio de um barco com migrantes no Canal da Mancha provocou esta terça-feira quatro mortes, incluindo duas crianças, segundo um balanço ainda provisório, aumentando para sete as mortes ocorridas nessas águas durante este ano.

Uma mulher e duas crianças, de cinco e oito anos, estão entre as vítimas mortais, segundo as autoridades francesas.

Outras 15 pessoas foram resgatadas e as buscas continuam durante a noite.

Segundo os depoimentos dos migrantes, "falta uma pessoa que poderá ser uma criança", avançou o autarca da localidade de Loon-Plage, Hervé Tourmente, durante uma conferência de imprensa.

Os restantes sobreviventes, homens, mulheres e crianças de nacionalidade iraniana, de acordo com os primeiros elementos, "estão em estado de hipotermia" incluindo um caso "grave", tendo sido distribuídos por hospitais de Calais e Dunquerque.

A embarcação, aparentemente um barco de pesca turístico, foi descrita por um velejador inglês como tendo virado e afundado, tendo sido lançada em seguida uma vasta operação de busca com seis embarcações e meios aéreos.

As autoridades estão a tentar "recuperar o número máximo de pessoas" enquanto o número exato de passageiros não está ainda estabelecido, mas segundo Tourmente são "19 ou 20", especificando que as condições climatéricas para a travessia "não eram nada favoráveis".

A tragédia de hoje eleva para sete o número de migrantes que morreram durante uma travessia ilegal do Canal da Mancha desde o início de 2020, segundo dados comunicados pelas autoridades, depois de em 2019 se terem registado quatro vítimas mortais.

No entanto, desde 2018 as tentativas de cruzamento multiplicaram-se: entre 01 de janeiro e 31 de agosto deste ano, 6.200 migrantes tentaram a sorte, em barco insuflável os mais ricos, a remo, caiaque ou simplesmente uma boia para outros.

Em 2019, 2.358 pessoas que tentaram a travessia foram resgatadas e levadas de volta para as costas francesas ou britânicas, em comparação com 538 em 2018, segundo os números da autoridade marítima francesa do Canal da mancha e Mar do Norte.

Canal da Mancha Hervé Tourmente questões sociais acidentes e desastres acidentes de transporte
Ver comentários